Faltam:
para o ENEM

A economia açucareira do Brasil colonial – História Enem

Confira tudo sobre a Economia Açucareira do Brasil colonial. Nesta aula você fica conhecendo um pouco mais sobre a produção do açúcar na época colonial. Cai no Enem e nos vestibulares. Não perca esta revisão! Veja abaixo.

O açúcar era um produto muito apreciado pelos europeus e também um dos mais caros.  Até o final do século XIV era utilizado na Europa como remédio ou tempero exótico. A partir do final do século XV o açúcar se tornara um produto de consumo da nobreza e da burguesia europeias.  Era chegado o tempo da Economia Açucareira no Brasil.

Você sabia que devido a seu alto valor no mercado, porções de açúcar eram, muitas vezes, deixadas como herança em testamentos? Ou dadas como presente a reis e nobres? Com isso dá para você imaginar como este produto gerou enormes lucros para Portugal. Agora fica fácil de você entender por que a Coroa portuguesa decidiu produzir cana-de-açúcar no Brasil quando decidiu colonizar as terras brasileiras:

  • O açúcar alcançava altos preços na Europa;
  • O solo e o clima favoráveis do litoral propiciaram o cultivo da cana;
  • Os portugueses já tinham experiência no cultivo de cana-de-açúcar e na montagem de engenhos porque desde o século XV produziam açúcar nas ilhas da Madeira, Açores e Cabo Verde.

Que tal ficar ainda mais por dentro deste assunto assistindo a uma aula em vídeo do professor Rodrigo Pellizzari do descomplica sobre a importância do açúcar no contexto do Mercantilismo?

Dica 1 – Você viu como a política mercantilista influenciou na opção portuguesa de plantar cana-de-açúcar no Brasil? Então, veja aqui  mais um pouco acessando a nossa página do Enem e conferindo uma super aula sobre o mercantilismo.

Dica 2 – Quer saber um pouco mais sobre a chegada dos portugueses à América? Então, acesse aqui um post especial que o Blog do Enem preparou para você:

Dica 3 – Você sabe por que os portugueses decidiram colonizar o Brasil? Não? É assunto obrigatório no Enem e nos vestibulares. Então acesse aqui.

Fique ligado! Assim como o Enem, vários vestibulares de todo o Brasil fazem questões sobre as características da produção de açúcar no Brasil colonial quanto: ao tipo de cultura, a extensão de terra, a mão de obra e ao mercado consumidor.Que tal ver agora como era o processo de fabricação do açúcar? Observe a imagem abaixo e presta atenção nas etapas de produção do chamado “ouro branco”.

Brasil Colonial

Mas, você deve estar se perguntando: Quanto custava para se instalar um engenho de cana? Bem, não era nada barato montar um engenho! Como o governo português não tinha recursos necessários para financiar este empreendimento, o dinheiro aplicado nos primeiros engenhos foi emprestado por banqueiros holandeses (na época, os mais ricos da Europa) e italianos, mas, algum tempo depois, os senhores de engenho produziam açúcar com seus próprios recursos.

Os holandeses exigiram o direito de refinar o açúcar e vendê-lo no mercado europeu. Além disso, recebiam os juros cobrados pelos empréstimos ficando com a maior parte dos lucros. Era nos engenhos que se desenvolvia a produção da cana. Moendas, caldeiras, tachos, fôrmas, depósitos e outras instalações davam um caráter fabril ao espaço.

Você sabia que inicialmente o engenho era o nome dado ao equipamento usado na fabricação do açúcar? E que com o tempo passou a designar toda a fazenda de cana? Não? Então observe a imagem e fique atento a divisão de um engenho típico do Nordeste açucareiro.

Brasil Colonial1 – casa-grande (moradia do senhor de engenho);

2 – capela (onde se realizavam batizados, missas etc.);

3 – senzala (moradia dos escravos);

4 – roda d’água;

5 – moenda (onde a cana era moída);

6 – fornalha;

7 – cozimento do caldo;

8 – casa de purgar (onde o melado permanecia até cristalizar);

9 – roça (onde se plantavam os alimentos);

10 – moradia dos trabalhadores livres;

11 – canavial;

12 – transporte de lenha;

13 – transporte de cana.

Fonte: RODRIGUEZ, Joelza Ester Domingues. História em documento: imagem e texto, 7º. ano.  Ed. renovada. São Paulo: FTD, 2009. p. 243.

A cana era produzida em grande quantidade (monocultura) e em grandes extensões de terra (latifúndios) com mão de obra escrava (inicialmente indígena e depois africana) para atender ao mercado externo.  Veja agora a uma super-revisão com o professor Rodrigo Woloski do aulade.com.br sobre este tema? Preste atenção nas dicas do vídeo e não se esqueça: pesquise, estude para o Vestibular e Enem!

Exercícios – Agora chegou a sua vez! Responda a estas duas questões de vestibular que o Blog do Enem preparou para você.

1. (FUVEST) A produção de açúcar, no Brasil colonial:

a) (     ) possibilitou o povoamento e a ocupação de todo o território nacional, enriquecendo grande parte da população.
b) (     ) praticada por grandes, médios e pequenos lavradores, permitiu a formação de uma sólida classe média rural.
c) (     ) consolidou no Nordeste uma economia baseada no latifundiário monocultor e escravocrata que atendia aos interesses do sistema português.
d) (     ) desde o início garantiu o enriquecimento da região sul do país e foi a base econômica de sua hegemonia na República.
e) (     ) não exigindo muitos braços, desencorajou a importação de escravos, liberando capitais para atividades mais lucrativas.

Resposta: A alternativa correta é a letra “c”.

2. (ENEM 2011) O açúcar e suas técnicas de produção foram levados à Europa pelos árabes no século VIII, durante a Idade Média, mas foi principalmente a partir das Cruzadas (séculos XI e XIII) que a sua procura foi aumentando. Nessa época passou a ser importado do Oriente Médio e produzido em pequena escala no sul da Itália, mas continuou a ser um produto de luxo, extremamente caro, chegando a figurar nos dotes de princesas casadoiras.
(CAMPOS, R. Grandeza do Brasil no tempo de Antonil (1681-1716). São Paulo: Atual, 1996)

Considerando o conceito do Antigo Sistema Colonial, o açúcar foi o produto escolhido por Portugal para dar início à colonização brasileira, em virtude de

a) (     ) o lucro obtido com o seu comércio ser muito vantajoso.
b) (     ) os árabes serem aliados históricos dos portugueses.
c) (     ) a mão de obra necessária para o cultivo ser insuficiente.
d) (     ) as feitorias africanas facilitarem a comercialização desse produto.
e) os nativos da América dominarem uma técnica de cultivo semelhante.

Resposta: A alternativa correta é a letra “a”.

Carla Regina História
O texto desta aula foi preparado pela professora Carla Regina da Silva para o Blog do Enem. Carla é formada em licenciatura e bacharelado em História pela UFSC. https://www.facebook.com/carla.regina.779.