Faltam:
para o ENEM

Enem 2017 inova ao assumir-se como processo seletivo para o Ensino Superior

Coordenador de Processos de Avaliação do Colégio Bandeirantes, professor Claudio Pinheiro, explica as principais mudanças no Enem 2017 e sugere estratégias na sua preparação para o Exame. Veja as dicas e como fazer sua inscrição.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) assume a função explícita de selecionar alunos para o Ensino Superior. As provas avaliam a proficiência dos estudantes em um conjunto de habilidades, apresentadas em sua matriz de referência. Veja como será o Enem 2017 e o Passo a Passo para fazer sua inscrição.

As mudanças apresentadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em 10/04 mostram-se acertadas por definir um único objetivo para o Enem 2017. O exame assume a função exclusiva de selecionar alunos para o Ensino Superior, por meio de uma prova que avalia, com competência, a proficiência dos estudantes em um conjunto de habilidades, apresentadas em sua matriz de referência. 

Ao reconhecer este objetivo, a prova poderá ser preparada para que forneça resultados mais precisos na diferenciação entre as notas mais altas e mais baixas, selecionando com mais eficácia os participantes que ocuparão as cadeiras das faculdades de todo o país.

Outra mudança oportuna é a que define dois domingos para a aplicação do exame. No modelo anterior, as provas aos sábados constituíam um verdadeiro martírio para os estudantes sabatistas, que eram obrigados a permanecerem em sala de aula por 5 horas sem atividade.

Nessas condições, esses participantes ficavam em desvantagem, pois ao iniciarem o exame, após às 19h, estavam desgastados pelo tempo de espera. Essa situação exigia, ao mesmo tempo, um incremento nos gastos com pessoal e em logística por parte do governo. Veja no final do post como fazer a sua inscrição parao Enem 2017.

Mais tranquilidade para Matemática e Redação

A troca da ordem das provas, outra novidade da edição 2017 do Enem, foi acertada, à medida que o acúmulo de questões de matemática, língua portuguesa e redação, no segundo dia de aplicação, inviabilizava a resolução da prova para muitos estudantes, dado o tempo necessário para se desenvolver as respostas de ambas as áreas. Essa circunstância poderá ser amenizada com a troca da prova de matemática pela de ciências humanas, frequentemente de resolução mais rápida.

As Dicas de Estudo para o Enem 2017:

Com a mudança para dois domingos de aplicação, os participantes poderão reorganizar os estudos. Uma proposta é, na semana anterior às provas do primeiro domingo, o estudante dedicar-se à revisão de História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Língua Portuguesa e Língua estrangeira.  Dica do Blog do Enem: Veja os 10 Temas que mais caem no Enem.O que mais cai no Enem

Na semana seguinte, na preparação para o segundo domingo de provas, é o tempo de fazer a revisão de Física, Química, Biologia e Matemática. Vale lembrar que são revisões, uma vez que o preparo eficaz para o Enem demanda estudo contínuo no decorrer do ano.

Redação Enem – um grande desafio

Os resultados em redação da última edição do Enem mostraram que menos de 80 participantes obtiveram a nota máxima. É muito pouco, considerando a quantidade de candidatos e a formação específica realizada por diversos colégios. Uma dica do Blog do Enem para você é conferir exemplos de redações Enem 2016 nota mil. Redações Enem Nota 1000O que se verifica, no entanto, é o empenho de parte das escolas brasileiras em compreender, com mais profundidade, as características da produção textual do Enem. Diferentemente das propostas de alguns vestibulares, a redação no Enem não espera um posicionamento do estudante no sentido de “ser a favor” ou argumentar “contra” algo.

O princípio é avaliar a capacidade do participante de propor soluções para problemas reais apresentados nos textos de estímulo. Ressalta-se, ainda, que os argumentos devem obedecer às premissas expressas na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Será zerada, por exemplo, uma produção que defenda a escravidão ou o trabalho infantil como uma suposta solução do problema apresentado. A correção da redação segue rígidos critérios, e a utilização desse sistema nas escolas tem sido usado com frequência como mais uma estratégia de preparação.

O Inep anunciou, no pacote de mudanças do Enem 2017, que descontinuará a divulgação das notas por escola, acrescentando que o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) será ampliado para todas as instituições de ensino, sejam elas públicas ou privadas. O Saeb utiliza o indicador Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) como referência para a medida da “qualidade” da formação oferecida pelas escolas. A métrica desse indicador demandará novos esforços das instituições.

Entenda o que é o IDEB

O indicador IDEB é composto por dois critérios. O primeiro é o de desempenho, mensurado por meio das notas obtidas pelos estudantes na Prova Brasil, que avalia a proficiência em leitura e interpretação de textos e a capacidade de resolução de problemas matemáticos.

O outro critério é a medida de rendimento, associado ao percentual de aprovações em cada segmento (Ensino Fundamental ou Ensino Médio). O ideal é que as escolas se empenhem em recuperar os alunos, diminuindo os percentuais de reprovação por meio da aprendizagem efetiva, incrementando, de forma legítima, sua nota de rendimento. Receia-se, todavia, que muitas instituições “maquiem” os dados, aprovando alunos que não assimilaram os mínimos necessários.

Inscrições para o Enem 2017

O calendário está confirmado pelo Ministério da Educação: Inscrições Abertas dia 8 de maio, com prazo até o dia 19 de maio, no limite das 23 horas e 59 minutos. Veja o Passo a Passo completo para fazer  sua inscriçãoInscrições para o Enem 2017

Este post sobre as mudanças no modelo do Enem foi produzido para o Blog do Enem em cooperação com a equipe de professores do Colégio Bandeirantes, de São Paulo. Saiba mais sobre o Colégio Bandeirantes: http://colband.net.br/ Colégio Bandeirantes

Autor: professor Claudio Pinheiro, coordenador de Processos de Avaliação do Colégio Bandeirantes (SP), professor de Física formado pelo IFUSP, MBA em gestão educacional e mestrando em avaliação da aprendizagem pela PUC-SP, lecionou em cursinhos por mais de 20 anos e foi coordenador pedagógico de instituições de ensino médio de São Paulo. Contato: colband@maquinacohnwolfe.com