Enem digital 2020: entenda o que é e como vai funcionar

O Enem digital é a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio através de computadores, no lugar da tradicional versão impressa. A primeira aplicação do Enem digital acontecerá em 2021 para testar o modelo.

Em 2019 o Inep divulgou um plano para implementar no Brasil a aplicação do Enem digital. Trata-se da substituição do tradicional Enem impresso, ou seja, a aplicação do Exame em papel, pela aplicação das provas em computadores.

De acordo com os planos do Inep, a aplicação da prova do Enem só será totalmente digital a partir do ano de 2026. Até lá, haverá uma transição gradual da aplicação impressa das provas para o modelo digital.

Como funciona o Enem digital

O edital do Enem 2020 confirmou a primeira aplicação do Enem digital. Nele, há a previsão de que 100 mil estudantes testem o modelo em diversas cidades de todo o Brasil. A lista de cidades que receberá a primeira aplicação digital do Exame Nacional do Ensino Médio pode ser conferida aqui.

O modelo de prova digital será igual ao do Enem impresso. No entanto, como as datas das provas são diferentes, as 180 questões que compõem as provas serão outras, assim como o tema da redação. Além disso, mesmo na aplicação digital do Enem a redação continuará sendo manuscrita pelo candidato.

Embora as questões das provas impressa e digital sejam diferentes, o nível de dificuldade e o tempo para a resolução das provas serão os mesmos. Assim, a igualdade no processo seletivo será garantida pela TRI (Teoria de Resposta ao Item).

Os computadores utilizados na versão digital do Enem serão fornecidos pelos locais de prova. Por isso, os locais de prova deverão apresentar infraestrutura adequada para que os estudantes possam realizar o exame sem problemas.

E, apesar de a prova ser realizada em computadores, estes só terão acesso ao sistema de prova, de maneira que os candidatos não consigam acessar a internet.

Todas as dúvidas sobre o Enem digital

As inscrições para o Enem digital 2020 já se encerraram, mas se você quiser participar das próximas edições, é bom tirar todas as suas dúvidas sobre o exame!

Quem pode participar do Enem digital

Apenas estudantes que concluíram o ensino médio ou irão concluir em 2020 poderão participar do Enem digital. Além disso, na primeira edição do Enem digital não terá a opção de treineiros e participantes com atendimentos especiais também não participarão.

O Enem digital será aplicado em todo o Brasil?

Sim, o Enem digital contemplará todos os estados brasileiros. Todavia, não serão todas as cidades aptas a participar. Ao todo serão 110 cidades em todos os estados e no Distrito Federal.

Posso participar do Enem digital e do impresso?

Não. O participante deverá optar por uma das modalidades. A escolha se dá ao longo do processo de inscrição.

Quantas pessoas podem fazer o Enem digital?

Para o Enem 2020 foram disponibilizadas 101 mil vagas para a prova digital. O critério foi o seguinte: as inscrições correram normalmente até chegar no número limite. Após isso, não era mais permitido realizar a inscrição no Enem digital.

Enem digital ou impresso: qual devo fazer?

A grande diferença entre o Enem digital e o impresso está na utilização de computadores para responder as questões. Os alunos que optarem pelo Enem digital não terão nenhum benefício, uma vez que não será possível acessar a internet.

Nossa dica é: se você tem familiaridade com tecnologia e sabe o básico de como usar um computador, você pode optar pelo Enem digital. Além disso, é interessante que você esteja acostumado a utilizar uma tela de computador (para sua vista não cansar, já que a prova é longa).

Novo edital do Enem 2020

O Inep lançou, no início de agosto, o novo edital do Enem 2020 com informações acerca da prevenção à Covid-19. Nele consta a obrigatoriedade do uso de máscaras durante a aplicação do Enem digital. Veja o artigo do edital:

11.2 É proibida a entrada do participante no local de prova após o fechamento dos portões e
sem a máscara de proteção à Covid-19.

Além disso, também consta no edital que:

A máscara deve cobrir totalmente o nariz e a boca do participante, desde a sua entrada até sua saída do local de provas. Será permitido que o participante leve máscara reserva para troca durante a aplicação.

Por enquanto, não há nenhuma informação acerca do consumo de lanches e o consequente manuseio da máscara ao longo da prova.

Adiamento do Enem 2020

No dia 20 de maio de 2020, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o adiamento da prova do Enem, tanto a aplicação impressa quanto a digital. A mudança de datas deve-se à pandemia do novo coronavírus, que impede milhares de alunos de estudarem para as provas.

O Enem no contexto da pandemia

Com o fechamento de escolas em virtude da pandemia de coronavírus, o cumprimento do calendário escolar ficou prejudicado. Em alguns estados as aulas da rede pública de ensino foram totalmente suspensas, enquanto em outros as secretarias de educação buscam soluções improvisadas para dar continuidade às aulas.

Na maioria dos casos em que as aulas continuam à distância, os conteúdos são transmitidos pela internet, televisão e pelo rádio para tentar atingir o maior número de estudantes possível.

Esse contexto expõe a desigualdade da sociedade brasileira, uma vez que os colégios da rede particular normalmente conseguem oferecer maior infraestrutura de apoio ao estudante, como aulas ao vivo e contato com os professores para monitoria. Na rede pública, as aulas são padronizadas e não há interatividade entre aluno e professor. Além disso, grande parte dos estudantes não possui condições de estudar em casa, seja por falta de acesso à internet, seja pela falta de ambiente adequado.

Uma vez que as condições de preparação dos estudantes seria muito desigual, diversos pedidos foram feitos para que o Enem 2020 fosse cancelado ou a menos adiado. A pressão partiu de parlamentares, entidades de representação estudantil e membros da sociedade civil.

O até então Ministro da Educação, Abraham Weintraub, defendeu a manutenção do Enem 2020: “É um ano de desafio, em razão da pandemia de coronavírus. No entanto, não é isso que vai fazer que percamos o ano […] Não podemos deixar para depois uma geração inteira de médicos, enfermeiros, engenheiros e professores. Não faz sentido”.

Como se inscrever no Enem digital

O candidato que desejar participar da primeira aplicação digital do Enem deverá fazer sua inscrição normalmente através da página do participante. No momento da inscrição do Enem 2020, ele poderá optar se deseja, ou não, realizar a versão digital do Exame. Ou seja, neste primeiro momento ninguém será obrigado a participar.

Ao acessar a página do participante para se inscrever no Enem, o candidato receberá o seguinte aviso:

aviso enem digital

Ou seja, para se inscrever no formato digital do Enem 2020 são exigidos os seguintes requisitos somente poderão participar os candidatos que realizarão a prova em alguma das cidades que vão receber a aplicação digital do Enem 2020.

Assim que forem preenchidas as 100 mil vagas previstas para a participação no Enem digital, não será mais possível se inscrever nesta modalidade. Além disso, treineiros, ou seja, estudantes que ainda não concluíram ou não concluirão o ensino médio em 2020 também não poderão optar por este modelo de prova.

Um alerta importante é o seguinte: depois de se inscrever para o Enem digital, o candidato não poderá alterar sua inscrição para o formato impresso. A página do participante também avisa que o Enem pelo computador não fornecerá recursos de acessibilidade.

Enem digital 2020: formato ainda divide opiniões

Desde o primeiro anúncio de que as provas digitais começariam a ser aplicadas no Brasil a partir de 2020, especialistas se dividiram em aprovação e críticas.

De um lado, há os que defendem que os exames de acesso ao ensino superior já são aplicados em formatos digitais em diversos países desenvolvidos e que o Brasil deve seguir essa tendência. Dentre os benefícios da prova digitalizada, estariam a redução de custos, a possibilidade de serem realizadas mais edições do Enem ao longo do ano e a aplicação das provas em mais municípios.

Além disso, os que defendem o formato digital argumentam que ele possibilita a aplicação de questões interativas envolvendo gráficos, vídeos e games, complexificando o Exame.

Os críticos ao modelo ressaltam a dificuldade em garantir locais de prova com a infraestrutura necessária para a aplicação digital das provas, especialmente em regiões isoladas.

Esses especialistas também argumentam que a inclusão digital ainda não é uma realidade para os estudantes brasileiros, principalmente os de baixa renda. Assim, alunos sem acesso à informatização teriam dificuldades em realizar a prova no formato digital, ampliando ainda mais o fosso de desigualdades na educação brasileira.

Como estudar para o Enem 2020

Independente da sua opção (digital ou impresso) você deverá estudar com a mesma intensidade. Nossas dicas principais são:

  1. Estude com um plano de estudo completo para o Enem;
  2. Saiba o que mais cai no Enem;
  3. Monte um cronograma de estudos de acordo com suas tarefas;
  4. Aprenda a fazer a redação do Enem.

Por fim, veja os 12 temas que mais caem no Enem:

Avatar

Jade Philippe

Diretora de Conteúdo do Blog do Enem. Formada em Direito, descobriu na comunicação um caminho mais direto para ajudar as pessoas. Foi assim que passou a integrar a equipe do Curso Enem Gratuito, plataforma dedicada a entregar educação livre, de qualidade e gratuita a todos os estudantes do Brasil.
Categorias: Enem Tags: ,