Redação do Enem: guia completo para chegar na nota mil

Confira nosso conteúdo completo sobre a redação do Enem! Tem as características do texto dissertativo-argumentativo, como é a estrutura da redação, exemplos nota mil e muito mais!

A redação é motivo de tirar o sono de muitos candidatos que prestam o Enem. E não é para menos: a redação do Enem vale 1000 pontos. Sozinha, ela pode aumentar ou diminuir a média final da prova. Além disso, é a única parte em que não dá pra chutar.

Apesar de a estrutura da redação do Enem parecer complicada, existem várias técnicas que ajudam na escrita de um bom texto. Pensando nisso preparamos este guia que vai te ajudar a vencer cada parte desse desafio!

Como é a redação do Enem

Não importa o ano que você faça o Enem, você sempre vai se deparar com os mesmos 3 elementos na página da redação no caderno de provas:

  • Instruções para a redação;
  • Textos motivadores;
  • Proposta de redação.

Instruções

Nas instruções, você vai encontrar informações como onde o rascunho deve ser feito, que o texto deve ser escrito à tinta preta, na folha própria para isso e que o texto deve ter até 30 linhas.

Além disso, é informado que você não deve copiar trechos dos textos motivadores nem de outras questões. Caso contrário, o número de linhas copiadas será desconsiderado. Por último, são listadas as situações que podem zerar a redação, mas esse é um tema que abordaremos mais a frente neste guia.

Textos motivadores

Em seguida, vem os textos motivadores, que servem para que os candidatos entendam e pensem sobre o tema proposto. Mas se eles não devem ser copiados, isso significa que as informações trazidas por eles não podem ser utilizadas na redação? Veja este vídeo da prof. Dani explicando direitinho como os textos motivadores podem aparecer na redação:

Proposta de redação

Por fim, no pé da página, estará a proposta de redação. É nessa parte que aparece o tema da redação. Todos os anos, a única parte que muda é o tema pois todo o resto do enunciado é igual. Veja como exemplo a proposta da redação do Enem 2019:

“A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema ‘Democratização do acesso ao cinema no Brasil’, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.”

Podemos tirar várias informações a partir desse enunciado e vamos trabalhá-las ao longo do texto. Primeiramente, vemos que o texto da redação do Enem deve ser do tipo dissertativo-argumentativo.

Texto dissertativo-argumentativo

O texto dissertativo-argumentativo tem como objetivo a exposição de determinada temática com base em argumentos. Em outras palavras, o foco principal desse tipo de texto é defender um ponto de vista. É justamente esse ponto de vista que deve nortear a sua escrita. Para isso, o texto dissertativo-argumentativo precisa de tema, tese e argumentos.

Tema

Com o tema você não precisa se preocupar, pois ele é fornecido na proposta de redação do Enem. Geralmente, o tema é um problema sobre o qual você vai apontar causas, consequências, apresentar dados e formular uma proposta de intervenção com o objetivo de minimizá-lo.

Tese

Com base no tema, você deve construir a tese da redação, que nada mais é do que o ponto de vista que você defenderá ao longo da redação. A fim de criar sua tese, você pode responder a algumas perguntas. A primeira pergunta é “o que eu acho?”.

Depois de definir a sua tese ou ponto de vista, você deve se perguntar porque tem essa opinião. A partir da resposta, você deve elaborar uma ideia a ser defendida em cada parágrafo de desenvolvimento. Assim, sua tese te acompanhará por toda a redação.

Argumentos

Após fazer a tese, é hora de pensar como você irá defendê-la. O que vai sustentá-la são os argumentos, que podem ser exemplos, dados estatísticos, experiências, fatos históricos, citações ou depoimentos de pessoas especializadas, etc.

Estrutura de uma redação

Depois de elaborar sua tese e pensar nos argumentos que vai utilizar na redação do Enem, é hora de você começar a escrever. Para isso, é importante que você saiba que a estrutura de uma redação, não importa qual seja, precisa de três elementos:

  1. Introdução;
  2. Desenvolvimento;
  3. Conclusão.

Tanto a introdução quanto a conclusão necessitam de apenas um parágrafo. Enquanto isso, o desenvolvimento tem um número variável de parágrafos. No Enem, o mais comum são as redações com 2 parágrafos de desenvolvimento. Portanto, seu texto deve ter 4 parágrafos: um de introdução, dois de desenvolvimento e um de conclusão.

Não existe nenhuma regra que exija que sua redação tenha 4 parágrafos, mas essa é uma dica que a gente dá tendo em vista que muitas redações nota mil utilizaram essa quantidade.

Como fazer uma introdução

A introdução equivale ao primeiro parágrafo da redação. Nesta parte você fará a apresentação do problema e de suas principais abordagens. Sua tese principal também deve estar aqui. Os argumentos que vão explicar e defender seu ponto de vista estarão nos parágrafos seguintes. Dessa forma, você irá direcionar o olhar do leitor para seguir sua linha de raciocínio.

Como fazer um desenvolvimento

Os dois ou três parágrafos depois da introdução compõem o desenvolvimento. É a partir do segundo parágrafo que você vai defender a tese apresentada na introdução. Cada parágrafo do desenvolvimento deve apresentar argumentos que sustentem o seu ponto de vista. Dessa forma, será possível analisar de forma profunda e contextualizar sua ideia principal.

Como escrever o desenvolvimento da redação do Enem
Como escrever o desenvolvimento da redação do Enem

Como fazer uma conclusão

O parágrafo de conclusão da sua redação do Enem tem função de retomada. Para construí-lo, você pode utilizar esses 3 elementos: conectivo de conclusão, retomada do objetivo e proposta de intervenção.

Primeiramente, você deve lembrar que o parágrafo de conclusão sempre deve iniciar com um conectivo. Você pode usar “portanto” ou “dessa forma”, por exemplo. Depois de usar o conectivo, você deve retomar os objetivos da sua redação que foram estabelecidos com a tese e explorados no desenvolvimento.

Proposta de intervenção

Por fim, você deve escrever a famosa proposta de intervenção. Se você ler novamente a proposta de redação que citamos anteriormente neste texto, vai conferir que logo depois do tema é requisitado que o candidato elabore uma proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Esse é um trecho muito importante da redação do Enem e não deve ser ignorado. Só a proposta de intervenção já vale 200 pontos da nota da sua redação.

Mas, como fazer uma proposta de intervenção correta e completa? Ela precisa ter 5 elementos:

  1. Ação (o que?)
  2. Agente (quem?)
  3. Efeito (para quê?)
  4. Modo (como?)
  5. Detalhamento (explicação e exemplos)

Portanto, não é suficiente citar uma intervenção de maneira genérica, sem explicar quem seria o responsável ou de que forma seria colocada em prática.

Em seguida, confira os resumos feitos no Instagram do Curso Enem Gratuito sobre como fazer a introdução e a conclusão da redação do Enem:

Tema da redação do Enem

O Enem sempre cobra temas de atualidades na redação. No entanto, nunca é um fato muito específico ou que restrinja muito as possibilidades de escrita. Ao contrário, o tema da redação do Enem é sempre amplo, relacionando vários elementos em torno da problemática. Por isso, é importante pensar em cada um dos elementos para adequar sua redação ao tema.

O tema da redação do Enem 2017, por exemplo, era “O desafio da formação educacional dos surdos no Brasil”. Dentro dessa temática, temos dois assuntos diferentes: a “formação educacional” e “surdos”. Se você escrevesse uma redação falando apenas de um dos dois assuntos, estaria tangenciando o tema. Tome cuidado, pois é preciso contemplar tudo o que a proposta pede.

Para que isso não ocorra, uma dica é fazer uma hierarquia de assuntos. Perceba o que tem de mais importante (isso quem vai te dizer são os textos motivadores) e o de menos importante na proposta. Todos os elementos que você enumerar precisam aparecer no decorrer do texto. O que tiver em primeiro na hierarquia aparece mais, o que tiver em último aparece menos.

E não esqueça: toda a página da proposta de redação é importante. Não esqueça de levar os textos motivadores em consideração.

Socorro! E se cair um tema sobre o qual nada sei?

Nada de pânico! Você pode fazer sim uma boa redação sobre um tema que parece totalmente desconhecido dos seus estudos.  A professora Dani tem dois caminhos para você seguir mesmo nos temas que te parecem muito estranhos:

Tema da redação do Enem 2019

O tema da redação do Enem 2019  foi  “A democratização do acesso ao cinema no Brasil”. O assunto não estava entre os mais cotados para o exame e acabou surpreendendo alguns professores e muitos alunos. Apesar de ser uma grande surpresa, após alguns minutos de análise, era possível perceber que a temática trazia várias possibilidades de abordagem.

Isso porque o tema deixava aberto para que o aluno citasse e desenvolvesse aspectos como:

O cinema como espaço físico (acessibilidade das salas de cinema, por exemplo), o cinema quanto arte, a relação geográfica (como a falta de cinemas em regiões periféricas e do interior), a relação de classe (valores dos ingressos), a relação do cinema com políticas públicas, aspectos como vale cultura, meia entrada, entre outros.

As propostas de intervenção precisavam dar soluções reais para os problemas apontados em seus textos. Assim, a professora Dani, do Curso Enem Gratuito, listou alguns aspectos que poderiam estar na sua conclusão:

  1. a ampliação do vale cultura;
  2. ampliação/criação de programas que levem alunos de escola pública e baixa renda ao cinema;
  3. abertura de novas salas nas periferias e cidades do interior;
  4. isenção de impostos para a produção e consumo de cinema.
  5. Outro ponto que poderia ser citado é sobre baratear as plataformas de streaming.

Agora que você já pegou algumas dicas, que tal produzir uma redação com o tema de 2019 para exercitar sua escrita?

Temas de redação do Enem de 2015 a 2018

Para você entender como são os temas de redação do Enem, vamos deixar aqui a lista temas dos últimos cinco anos e os links para as análises feitas pela equipe do Blog do Enem e do Curso Enem Gratuito. Lembrando que treinar com temas que já apareceram em edições passadas é uma estratégia super válida!

Temas de redação para treinar

Mesmo se você souber direitinho o passo a passo de como fazer uma redação, tiver anotado todas as dicas e assistido todos os vídeos possíveis sobre o assunto, não tem como fugir da prática. A melhor forma de melhorar o seu texto é escrevendo. Assim você consegue identificar quais são suas maiores dificuldades e percebe quais são as estratégias em que você se encaixa melhor. Para isso separamos uma lista com 10 temas de redação para você praticar.

Correção da redação do Enem

Na correção da redação do Enem são utilizadas 5 competências para constituir a nota final. É o conjunto destes cinco aspectos que define a sua nota na hora da análise do seu  texto dissertativo argumentativo. Dessa maneira, cada competência vale até 200 pontos. Portanto, a nota mil é a máxima a ser alcançada. As 5 competências são as seguintes:

  1. Domínio da escrita formal da língua portuguesa;
  2. Compreender o tema e não fugir do que é proposto;
  3.  Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista;
  4. Conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação;
  5. Respeito aos direitos humanos.

O que faz zerar a redação do Enem

Tem muito candidato que morre de medo de zerar a redação do Enem. Em 2019, teve até gente achando que ia zerar porque citou o Ministério da Cultura em vez da Secretaria Especial de Cultura. Mas não há motivo para ficar apavorado! Existem critérios muito objetivos para zerar a redação. São eles:

  • Texto menor do que 7 linhas;
  • Fuga total do tema;
  • Tipologia textual diferente da dissertativa-argumentativa;
  • Cópia dos textos motivadores;
  • Formas propositais de anulação (desenhos, hashtags, coraçõezinhos nos pingos dos is, etc);
  • Partes desconectadas (receita de bolo, por exemplo);
  • Assinar o texto;
  • Texto predominantemente em língua estrangeira.

Dicas de redação

Além de todo o conteúdo sobre a estrutura da redação, temas e correção, preparamos mais algumas dicas pra você conseguir uma ótima nota! Confira em seguida.

1- Elabore e responda perguntas

Existem algumas perguntas que podem te ajudar na elaboração da tese, dos argumentos e da proposta de intervenção. Algumas delas estão listadas em seguida.

  1.  Qual o problema?
  2.  Por que se trata de um problema?
  3.  Quais as causas para tal problema?
  4.  Há alguma solução?
  5.  Como e por que colocar tal solução em prática?
  6.  Como essa proposta pode, de fato, resolver o problema?

2- Revise o seu texto

Antes de entregar sua prova para o fiscal, é muito importante que você releia a sua redação. Mas o momento ideal para fazer a revisão não é logo depois que você terminou de escrever. O melhor é esperar um tempinho para que consiga ter um distanciamento.

Como não há tempo de sobra no Enem, a melhor estratégia é escrever o rascunho da sua redação, resolver as questões das outras disciplinas e só então passar a limpo na folha oficial. Assim, você já vai ter um tempo de distanciamento e faz a revisão enquanto passa a limpo.

3- Leia redações de pessoas que tiraram nota mil

Ao ler redações que obtiveram nota máxima, você vai ser capaz de identificar quais as características de um texto bem avaliado. Além disso, pode conseguir ter inspirações sobre novas ideias e estruturas para aproveitar no seu próprio texto. Logo depois do vídeo tem exemplos pra você conferir.

Confira com a professora Dani mais algumas dicas que surgiram a partir das dúvidas dos alunos do canal do Curso Enem Gratuito:

Exemplos de redação nota 1000

Confira abaixo uma redação que obteve a pontuação máxima no Enem e, em seguida, a entrevista e a redação de uma aluna que obteve 940 pontos. Se quiser ver mais exemplos, é só acessar a nosso post com exemplos de redação nota 1000.

Ester Godinho Sousa – Redação Enem nota mil. Aluna SAS

A plenitude do processo educacional das populações é uma questão essencial para o desenvolvimento psicossocial nas nações, visto que práticas basilares, como a manutenção de vínculos empregatícios e o exercício da cidadania, são bastante facilitados.

No Brasil, entretanto, esse setor vem sendo prejudicado por problemas estruturais e sociais históricos, a exemplo da insuficiência de projetos voltados à educação inclusiva, que são evidenciados nos prejuízos durante a formação intelectual da expressiva parcela populacional de surdos, como a dificuldade de ingresso no mercado de trabalho, fatos que contrariam os preceitos dos Direitos Humanos e reduzem o desempenho socioeconômico da nação.

Diante disso, os desafios para a formação educacional dos surdos no Brasil representam uma questão de urgente resolução.

Decerto, um dos principais desafios referentes à problemática é a inserção efetiva dos deficientes auditivos no sistema de educação fundamental devido, principalmente, à insuficiência de práticas inclusivas, como cursos sistemáticos de capacitação dos docentes para a utilização da Língua Brasileira de Sinais, aliada à ocorrência expressiva de casos de violência e de discriminação, como o “bullying”, que difundem a sensação de vulnerabilidade social e prejudicam a permanência desses alunos no ambiente escolar.

Tendo em vista esses aspectos, mudanças jurídicas, como a implementação da lei que obriga as instituições de ensino a matricularem alunos portadores de deficiência sem a cobrança de pagamentos adicionais, vêm auxiliando no combate à discriminação dos surdos e no acesso regular a todas as etapas de ensino.

Entretanto, a fiscalização insuficiente da aplicabilidade dessa medida ainda limita o registro de melhorias mais efetivas.

Além do desafio supracitado, a difusão histórica de estereótipos inferiorizantes relacionados aos surdos prejudica o ingresso efetivo de muitos jovens com formações educacionais exemplares no mercado de trabalho, mesmo diante do progresso representado pela efetivação da Lei de Cotas, que determina a ocupação de um número significativo de cargos nas empresas por portadores de deficiência; fato que reduz a população economicamente ativa do país e dificulta a garantia de outros direitos fundamentais dos surdos, como o acesso a atividades de lazer, que dependem diretamente da conquista de independência financeira, por exemplo, desestimulando, assim, a continuidade das atividades educacionais por esses indivíduos.

Logo, é necessário que ONGs em defesa da causa enviem petições para o governo cobrando maiores investimentos em práticas inclusivas no setor educacional, como o oferecimento de cursos gratuitos de capacitação dos docentes para a democratização do ensino e a integração efetiva dos surdos, aliados à intensificação da fiscalização da aplicação das leis relacionadas já existentes, por meio de campanhas que estimulem as denúncias populacionais sobre escolas que rejeitam o ingresso de alunos surdos, por exemplo, para que a identificação e o combate de situações discriminantes e violentas sejam facilitadas, estimulando, assim, a valorização desses indivíduos e o desempenho adequado de suas capacidades psíquicas nesse nível educacional.

Ademais, profissionais conscientes, como médicos, podem ministrar palestras, para serem divulgadas no meio virtual, que esclareçam sobre o fato das capacidades psicológicas não serem afetadas por problemas auditivos, para que estereótipos preconceituosos sejam “descontruídos”, facilitando, assim, o desempenho psicossocial desses indivíduos surdos e o progresso da nação.

Entrevista com a estudante Isabel Barra, que obteve 940 pontos na redação

A estudante Isabel Pires Barra fez uma super nota na Redação Enem 2015: 940 pontos. Ela conversou com o Blog do Enem para passar adiante sua experiência.  Confira a entrevista pingue-pongue com as dicas da Isabel, de 21 anos, que atualmente é acadêmica do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A experiência com a prova

Blog do Enem – Fez o Enem quantas vezes e como se saiu nas tentativas?

Isabel – Fiz o Enem duas vezes. A primeira experiência foi desanimadora, contudo, por meio dela, pude perceber minhas dificuldades e onde eu deveria me dedicar mais nos estudos.

Blog do Enem – Ficou contente com a sua nota na redação no Enem 2015?

Isabel – Nossa! Muito feliz. Sinceramente, eu não esperava essa nota, pois a banca é bem exigente.

Preparação para a prova

Blog do Enem – Como você se preparou para o Enem? Como era sua rotina de estudos?

Isabel – Eu tinha apenas três meses para me preparar para o Enem de 2015 (estava em processo de mudança residencial).

Então, assim que me instalei, procurei um cursinho de ensino intensivo, para revisar alguns conteúdos e, também, usei o Blog do Enem com o mesmo objetivo. Algumas dúvidas foram tiradas com os professores ou em vídeos aulas. Minha rotina era de segunda a sábado: cursinho pela manhã, tarde e noite estudava em casa. O dia de descanso era aos domingos.

Blog do Enem – Como você estruturou sua redação que te deu um resultado tão bom? O que te inspirou para escrever?

Isabel – Minhas professoras, Aline de Oliveira e Ana Casanova (Cursinho DCE/UFRN), sempre me diziam para fazer um planejamento antes de realmente escrever. Ou seja, um rascunho, só para eu não esquecer das ideias que vão surgindo no decorrer da leitura dos textos, disponibilizados na prova. Para escrever meu texto, segui estas orientações.

Considerando o tema da redação “Violência contra a mulher”, minha inspiração teve relação com o fato ser mulher, ter mãe, avós, tias, primas e amigas. Juntamente, quando vejo seguidamente nos jornais a persistência da violência contra a mulher, me imagino no lugar da vítima ou uma das que eu amo.

É inaceitável, são décadas de mobilização dos movimentos sociais das mulheres e, ainda assim, percebo em variados níveis sociais a reincidência da violência contra as mulheres. Muito já conquistamos, mas, até chegar o ideal, percorreremos um longo caminho, na busca por nossos direitos e da nossa dignidade preservada.

Dicas para a redação

Blog do Enem- Que dicas você daria aos estudantes que farão o Enem este ano e que estão em busca de uma nota tão boa quanto a sua?

Isabel – Primeira dica é, ler. Ler o quê? Revistas, artigos, blogs, jornais, qualquer instrumento que te faça ter contato com as atualidades, além disso, assistir jornais, documentários e entrevistas. Por exemplo, a leitura da Declaração Universal dos Direitos Humanos, também me ajudou no desenvolvimento da redação.

Como o tema da redação pode vir de qualquer assunto, ou seja, temos que ter conhecimento sobre política, economia, saúde, educação, meio ambiente, dentre outros.

Ademais, ter cuidado com o uso de gírias, atentar para a norma padrão, ser coerente ao longo da redação, usando conectivos e sinônimos, dessa maneira enriquecendo seu texto.

No mais, praticar, uma vez que a prática nos leva a perfeição. Eu escrevia de 3 a 4 redações por semana e discutia com as professoras do cursinho e com familiares. Como consequência, a cada redação eu me sentia mais segura em escrever e expor meu posicionamento crítico.

Por fim, confira na íntegra a redação feita por Isabel Pires Barra:

A violência contra a mulher ainda faz parte do convívio familiar da sociedade brasileira. Agressões, xingamentos, humilhações, pressão psicológica, cárcere privado entre outros atos se constituem em violência e em pleno século XXI, apesar das conquistas alcançadas por elas em busca de igualdade de gênero, há falhas em relação a sua segurança e integridade física, até mesmo a liberdade, e isto é um absurdo pois viola seus direitos enquanto cidadã.

Em primeiro plano, é evidente que a falta de conhecimento gera o preconceito que por sua vez leva a violência. Ao voltar no tempo, vê-se uma sociedade extremamente machista, em que a mulher servia apenas para gerar filhos e aos serviços domésticos, sendo vítima também de violência e era visto como normal. Atualmente, a cada dia a mulher tem conquistado seu lugar na sociedade, apesar da lei Maria da Penha a violência permanece, devido muitos carregarem sentimentos machistas, inaceitáveis neste século, é como se ainda permanecessem presos na “Caverna”, e não querem sair e conhecer por fim aceitar o mundo real, o que ele é hoje, isto pode ser comparado ao que o filósofo Platão fala em “O Mito da Caverna”.

Em segundo plano, muito dos crimes contra a mulher, como o cárcere privado, viola diretamente a Declaração Universal dos Diretos Humanos, mas este não é o que vem sendo alvo de preocupação e sim a violência física, que segundo os dados obtidos do balanço realizado em 2014 pela Secretaria de Políticas para as Mulheres, representou mais de 50% dos casos. Sendo assim, isso ocorre pela falta de denúncias em alguns casos, não feitas devido o medo, ocasionado por ameaças de morte ou por dependerem financeiramente do companheiro.

Diante disso, é notório que a violência contra a mulher é um assunto de grande preocupação, pois afeta a estrutura familiar e consequentemente a sociedade. Portanto, para a diminuição da mesma é necessário que as escolas por meio de palestras promovam o conhecimento da importância da mulher na sociedade e sua luta e conquistas no decorrer da história, garantindo sua valorização e respeito enquanto cidadã, enquanto isso Ongs em defesa da mulher junto com a mídia promover campanhas contra a violência com o objetivo de conscientizar e mudar o pensamento de muitos, também é necessário maior fiscalização pelas varas especializadas e possam garantir a segurança para essas mulheres vítimas.

Ana Cristina Peron

Ana Cristina Peron

Ana Cristina Peron é formada em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. É redatora do Curso Enem Gratuito e do Blog do Enem.
Categorias: Redação Enem Tags: , , ,