Faltam:
para o ENEM

Estrutura das Palavras Verbais e Mistas – Gramática vestibular e Enem

Revise sobre Radical, Vogal Temática, Tema e Desinências em mais esta aula de Gramática Enem. Estude conosco para o Exame Nacional do Ensino Médio!

Estrutura das palavras verbais e mistas. Revisão de Gramática para a prova do Enem e do Vestibular.

Estrutura das Palavras

Quando criança, nos estudos de ciência, você ouviu seu professor falar que o corpo humano possui certa estrutura: cabeça, tronco e membros.

Assim como nosso corpo, a palavra também apresenta uma estrutura. Segundo o filólogo Houaiss, o vocábulo estrutura é organização, ordem dos elementos essenciais que compõem um corpo (abstrato ou concreto).

Pense na palavra “terra” que é primitiva (original) e, com base nela, formemos outras como:  “Terra” (palavra primitiva, de origem), e depois veja as novas palaras a partir de Terra:

Aterrado (a+ terr + ado)   Terrinha (terr + inha)    Soterramento (so + terr + a + mento)    Enterrar (em + terr + ar)    Terreno (terr + eno)    Mediterrâneo (medi + terr + âneo)    Aterrissar (a + terr + issar)    Conterrâneo (com + terr + âneo)

Estrutura das Palavras

Ao formarmos com o vocábulo “terra”, um grupo de palavras semelhantes, notamos que há um elemento comum (terr-) e outros diferentes, os quais se agregaram a ele a fim de estabelecer diferenças de significado. Por exemplo, o fato de acrescentarmos à palavra terra o elemento inha já se criou a ideia de uma terra pequena, isto quer dizer que temos outro significado com base no elemento comum. Além do exemplo “terrinha”, as outras também estabelecem diferenças de sentido, em razão dos seus diferentes elementos estruturais. Esses elementos estruturais são chamados morfemas, que constituem unidades mínimas de significação, ou seja, não podem mais se dividirem. Estudaremos os seguintes morfemas: radical, vogal temática, tema, desinências, afixos, vogais e consoantes de ligação.

Radical – Quando analisamos o grupo de palavras anteriores, percebemos que há um elemento comum a todas elas (terr-), a essa parte comum chamamos radical (R), o qual contém o significado básico da palavra. Todas essas palavras, que possuem o mesmo radical, são cognatas, pois pertencem a uma mesma família.

Vogal temática – Existem vogais temáticas (VT) especiais para os nomes e verbos. Elas vêm logo em seguida de seu radical a fim de que ele acolha as desinências ou sufixos.

Vogais temáticas dos nomes – São vogais temáticas dos nomes as letras –a, -e, -o quando forem átonas finais logo após o radical.  Exemplos: escada: R = escad- ; VT = -a    pente: R = pent-; VT = -e     medo: R = med-; VT = -o

Não serão consideradas vogais temáticas as letras –a, -e, -i, -o, -u tônicas finais logo após o radical, isso significa que fazem parte do próprio radical. Além dessas, possuem o mesmo comportamento as palavras terminadas em consoantes.

Vatapá = R     Café = R     Caqui = R     Jiló = R     Caju = R     Veloz = R

Dica 1 – Revise aqui para a prova de Gramática Enem estudando sobre como a concepção de texto tem sido ampliada, e como nem sempre apenas um enunciado é considerado Texto.

Quando as vogais –a e –o tiverem oposição de gênero masculino ou feminino, serão consideradas desinências e não vogais temáticas. Por exemplo, é possível passar a palavra caneta para o masculino? Não, essa palavra é do gênero feminino somente, ou seja, não há como falar caneto. Já em garoto existe a garota, portanto as vogais –o e –a, nesses casos, são desinências de gênero, respectivamente, masculino e feminino. Quando ocorre a ausência de qualquer elemento mórfico, nesse caso de vogal temática, representamo-no por um símbolo chamado morfema zero (Ø).

Vogais temáticas dos verbos – Os verbos possuem três conjugações que são determinadas pelas vogais temáticas –a, representando a 1ª conjugação; -e, a 2ª conjugação; e –i a 3ª conjugação:  contar: R = cont- ; VT = -a- ;     Desinência de Infinitivo (DI) = -r     fazer: R = faz-; VT = -e-; DI = -r       sorrir: R = sorr-; VT = -i-; DI = -r

Tema – Os temas (T) constituem a soma do radical e a sua vogal temática (R + VT). Quando não ocorrer vogal temática, não haverá tema.

Palavra

Radical

Vogal temática

Tema

Nomes

Sonho

Feliz

Tristemente

Sonh-

Feliz

Trist-

-o

Ø

-e-

Sonho

Ø

Triste-

Verbos

Atirava

Devemos

Parto

Atir-

Dev-

Part-

-a-

-e-

Ø

Atira-

Deve-

Ø

Desinências – São morfemas que assinalam as flexões dos nomes e dos verbos. São as flexões responsáveis pelas concordâncias nominal e verbal nas frases. Veja:  a) O gato dormia com tranquilidade.    b) Os gatos dormiam com tranquilidade.    c) As gatas dormiam com tranquilidade.

Desinências nominais – São responsáveis pela flexão de gênero e número. Em português, as desinências de gênero (DG) são representadas pelas vogais -o / –a, a primeira para o masculino e a segunda para o feminino. Lembremos que essas desinências estabelecem a oposição masculino e feminino. Exemplos: Oitavo oitava     Sério séria

As desinências de número (DN) são representadas pelos morfemas -s/ -es, os quais representam o plural em oposição à ausência de morfema que assinala o singular. Chamamos de morfema zero (Ø) a ausência de qualquer desinência. Na palavra lápis, a letra –s não pode ser considerada desinência de número porque não estabelece nenhuma oposição singular/ plural. Exemplos:  Oitavo Ø oitavos     Sério Ø sérios     Veloz Ø velozes     Particular Ø particulares

Dica 3 –  Está pronto para o Enem? Acompanhe aqui uma  aula sobre as funções da linguagem, desta vez com foco nas funções conativa, fática e metalinguística.

Desinências verbais – As desinências verbais (DV) constituem dois grupos: modo-temporal e número-pessoal. Veja a seguir alguns exemplos dessas desinências: Jogássemos =  R = jog-   VT = -a-    T = joga-

DMT = -sse-: desinência modo-temporal (A desinência sse– indica que o verbo jogar está no tempo do pretérito imperfeito do modo subjuntivo, isto quer dizer que não há possibilidade dessa mesma desinência servir a um outro tempo e modo verbal.)

DNP = -mos: desinência número-pessoal (A desinência –mos indica que o verbo está na primeira pessoa do plural [nós]. As desinências desse tipo estão presentes em qualquer outro modo e tempo verbal.

Note o mesmo verbo em outros tempos e modos: jogamos, jogávamos, jogaríamos, jogaremos, jogarmos, jogáramos, joguemos.)

Quadro de desinências verbais

I

N

D

I

C

A

T

I

V

O

DMT

DNP

Presente

Ø

o, s, Ø, mos, is, m

Pretérito perfeito

Ø

i, ste, u, mos, stes, ram

Pretérito imperfeito

va/a

Ø, s, Ø, mos, is, m

Pretérito mais-que-perfeito

ra/re

Ø, s, Ø, mos, is, m

Futuro do presente

rá/re

i, s, Ø, mos, is, o

Futuro do pretérito

ria/rie

Ø, s, Ø, mos, is, m

S

U

B

J

U

N

T

I

V

O

Presente

e/a

Ø, s, Ø, mos, is, m

Pretérito imperfeito

sse

Ø, s, Ø, mos, is, m

Futuro

r

Ø, es, Ø, mos, des, em

Afixo – São morfemas utilizados na formação de novas palavras pelo processo da derivação. Esses elementos mórficos modificam o sentido do radical a que se agregaram. Podem vir antes ou depois do radical. Quando são anexados antes do radical, classificamo-nos de prefixos (P). Quando são anexados depois do radical, classificamo-nos de sufixos (S).

Exemplos de prefixos:  Bisneto, desfazer, ilegal, reeleição

Exemplos de sufixos: ostoso, corpudo, professor, portal

Vogais e consoantes de ligação – As vogais e consoantes de ligação (VL, CL) são elementos mórficos não significativos cuja função é evitar as dissonâncias (sons desagradáveis do encontro de consoantes ou de hiatos). Vamos examinar os vocábulos gasômetro e moralidade.

Gasômetro é uma palavra formada por dois radicais gás- + -metro, que estão ligados pela vogal –o- para facilitar a pronúncia e, além disso, não tem valor significativo.

Chaleira é uma palavra formada pelo radical cha + o sufixo –eira, que estão ligados pela consoante –l- para facilitar, também, a pronúncia e, além disso, não possui valor significativo.

Saiba mais sobre Estrutura das Palavras Verbais e Mistas nesta aula do canal Claudio David, disponíveis no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios que estão abaixo.

Desafios  para você resolver e compartilhar.

Questão 1 – Vimos que as desinências nominais são responsáveis por indicar as flexões dos nomes. A letra “o” no final da palavra “medo” é desinência de gênero masculino? Justifique.

Questão 2 – Com base nas palavras “cuidadosamente” e “aparentemente”, podemos afirmar que elas sejam cognatas, ou melhor, pertencem à mesma família? Justifique.

Questão 3 – A palavra se estrutura em pequenas partes, como se ela fosse decomposta. A essas partes chamamos elementos mórficos. Assinale a opção em que não há erro na identificação desses elementos grifados.

a) banheiro: desinência de gênero     b) calvinista: sufixo     c) rigorosos: sufixo     d) hipermercado: radical     e) gastrite: tema     f) incapaz: tradical     g) intreabrir: radical

Questão 4 – Existem alguns morfemas que são colocados no interior da palavra com a intenção de melhorar a sua pronúncia. Esses morfemas recebem o nome de vogais e consoantes de ligação. Assim, assinale a alternativa em que não há vogal de ligação.

a) parisiense     b) logicismo     c) gasoduto     d) agilidade     e) cafeicultor

Questão 5 – A palavra “implacável” apresenta prefixo latino im-: que indica o sentido de negação. Nas alternativas a seguir, todas as palavras possuem prefixo. Assinale a opção em que o prefixo tenha o mesmo sentido da palavra “implacável”.

a) Importar     b) Depor     c) Injetar     d) Enterrar     e) Desleal

 Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!