História Enem – O surgimento da humanidade

Você sabe tudo sobre o Egito, os sumérios e a sociedade de castas? Revise com esta aula sobre o surgimento da humanidade e fique preparado para o Enem 2014!

O surgimento da humanidade

Os primeiros seres humanos que apareceram no nosso planeta não se pareciam muito conosco. Eram mais peludos. O formato de sua cabeça era diferente e eles andavam quase agachados, como os macacos.

Mas o que fez com que eles e elas se tornassem diferentes dos outros animais? Foi que eles começaram a produzir ferramentas com as mãos para viver melhor. Ter o polegar opositor, que capacita trabalhos com precisão e, é claro, o telencéflo desenvolvido, para armazenar informações, comunicações e aprendizados.

Quando esses animais passaram a conversar, ou seja, a se comunicar com outros homens e outras mulheres e a “escrever” é que eles realmente ficaram diferentes dos outros animais.

A Pré-História

A Pré-História é o estudo do passado da humanidade antes da invenção da escrita. Também é o período no qual a humanidade desenvolveu uma série de técnicas para aproveitar a natureza e para sobreviver com menos esforço.

Sabemos disso graças aos arqueólogos (pessoas que estudam as coisas feitas por homens e mulheres desde que surgiram na Terra), que tentam decifrar objetos como uma vasilha de cerâmica ou um enorme templo. Esses estudiosos nos mostram que a Pré-História pode ser dividida em momentos diferentes.

Nesses diferentes momentos, o homem desenvolveu técnicas mais complexas, que o ajudaram a dominar a natureza e a dominar os outros homens que ainda não haviam descoberto como fazer esses objetos.

aula01_fig01.jpg

Dica 1 – História Enem: As Grandes Navegações – https://blogdoenem.com.br/grandes-navegacoes-historia-enem/

O Egito e a Palestina

Egito

O vale do Nilo sempre foi habitado pelo ser humano desde os tempos da Pré-História.

Os primeiros grupos se fixaram lá por volta do ano 10mil a.C. até 6mil a.C.

Os primeiros habitantes eram pastores camitas de pele morena que viviam também de caça e coleta.

Posteriormente chegaram outros grupos. Esses primeiros habitantes eram grupos nômades que se juntaram e formaram clãs, ou seja, grupos de pessoas que descendiam dos mesmos antepassados.

Com o tempo se tornaram sedentários e começaram a aproveitar as boas colheitas da região, os clãs se tornaram grupos cada vez maiores chamados “nomos”. Depois de tempo, era como se cada “nomos” fosse uma espécie de cidade-Estado, na qual o líder era o ‘nomarca’.

Dica 2 – História Enem – As missões jesuíticas – O que você precisa saber? – https://blogdoenem.com.br/historia-missoes-jesuiticas/

Para aproveitar melhor as cheias do Nilo, os homens e mulheres que moravam lá tinham de construir barragens e canais para represar e dirigir a água.

Tal tarefa só podia ser realizada com o trabalho de muitas pessoas. À medida que as colheitas foram se tornando cada vez mais abundantes, os “nomos” se juntaram e formaram dois reinos: o reino do Alto Egito e o reino do Baixo Egito. Finalmente, os dois reinos formaram um reino unificado e governado por um rei, o faraó.

Uma sociedade de castas

A monarquia dos egípcios era diferente daquilo que sempre imaginamos, na qual o rei é rei, porque é o filho ou parente de outro rei.

O faraó era, para os egípcios, um deus vivo, herdeiro do deus Sol. Como chefe do culto, ele garantia a harmonia entre os homens, a natureza e os deuses. Era juiz supremo pela boa administração.

Assim, os egípcios adoravam o rio Nilo, o Sol e o faraó, que era como se fosse o Sol fantasiado de gente. O poder do faraó era absoluto; contudo, ele não governava sozinho. Uma grande casta de sacerdotes o ajudava a governar e lhe dava conselhos. Além dos sacerdotes, o faraó contava com muitos funcionários públicos, que controlavam as colheitas, a armazenagem dos cereais que sobravam e a construção de obras públicas.

As leis dos egípcios eram aplicadas por tribunais. Os egípcios chegaram a formar um tribunal supremo, composto por sacerdotes-chefes das comunidades religiosas das cidades de Mênfis e Tebas.

Mesopotâmia

Os primeiros habitantes da Mesopotâmia foram tribos elamitas. Não se sabe muito sobre os elamitas. Mas sabemos que, por volta do ano 3500 a.C., eles foram dominados pelos sumérios.

Os sumérios

Os sumérios criaram o modo de vida que foi copiado por outros povos que conquistaram sucessivamente a Mesopotâmia. Eles eram nômades da região doCáucaso e se fixaram no sul da Mesopotâmia. Essa região era plana e fértil.

Quando os sumérios chegaram ao sul da Mesopotâmia, começaram a drenar os pântanos e construíram diques e canais para aproveitar a água dos rios Tigre e do Eufrates. Além disso, iniciaram a agricultura para a Mesopotâmia.

Por causa disso, a região logo se transformou numa área rica, no “celeiro do mundo”.

Como não havia muitas pedras para construção na região, os sumérios começaram a usar tijolos de barro cozido pelo sol para fazer suas casas. Foi assim que os tijolos foram inventados.

Dica 3 – História Enem – Bandeiras, Entradas e monções: a conquista do sertão – https://blogdoenem.com.br/historia-conquista-sertao/

Em pouco tempo, o crescimento das cidades e o aumento da produção de cereais inventaram a escrita. Para poder armazenar o que sobrava, os governantes precisavam saber aquilo que cada cidade plantava e colhia. E precisavam contar quantas cabras havia no pasto. Os sumérios inventaram um tipo de escrita que é chamado de Cuneiforme ou em forma de cunha. Como eles não tinham matéria-prima para fazer papel, nem papiros, escreviam sobre pequenas tábuas feitas de barro, que cabiam na mão. Para escrever usavam varetas cujo final tinha o formato de uma cunha. É por isso que a escrita deles é chamada de cuneiforme.

Acádios e Amorreus ou Babilônicos

Os semitas se fixaram na parte média da Mesopotâmia. Antes disso, porém, dividiram-se em dois grupos: os acádios e os amorreus. Os amorreus construíram a cidade de Babilônia, à margem do rio Eufrates.

Quando esses dois grupos semitas se fixaram na Mesopotâmia, adotaram a cultura dos sumérios. Aprenderam tudo aquilo que os sumérios sabiam e, finalmente, os dominaram. Depois de algum tempo, os sumérios desapareceram como organização política, embora sua cultura fosse adotada por todos os povos que dominaram a Mesopotâmia.

Os semitas viveram em paz durante dois séculos. Depois, começou a disputa entre os dois grupos para ver qual deles dominava o outro. Finalmente, os amorreus de Babilônia dominaram os acádios e conseguiram unificar a Mesopotâmia. O rei dos amorreus era chamado Hamurabi.

O Código de Hamurabi

Por volta do ano 1750 a.C., Hamurabi conseguiu unificar as cidades da Mesopotâmia e iniciou a construção de uma imensa muralha em volta da cidade de Babilônia. Além disso, ele escreveu um código, ou seja, um conjunto de leis que diziam o que as pessoas e os reis podiam e não podiam fazer.

O Código de Hamurabi foi um dos primeiros códigos social e político da Antiguidade, sendo até hoje o mais completo achado. O código se baseava no princípio do “olho por olho, dente por dente”(Leit de Talião). Isto é: se uma pessoa matava a filha de outra pessoa, esta pessoa tinha o direito de matar a filha daquela pessoa.

Ários: os cassitas

Por volta de 1900 a.C., a região dos semitas foi invadida por tribos de ários que vinham do Cáucaso. O primeiro grupo de ários que acabou com a paz dos semitas foi o dos hititas. Como eram mais numerosos que os semitas, os hititas logo dominaram toda a região e arrasaram a cidade de Babilônia.

Mas os hititas não se fixaram na Mesopotâmia. Eles seguiram viagem e acabaram se estabelecendo na Ásia Menor. Logo depois chegaram os mitânios, que se fixaram no norte e, em seguida, os cassitas, que conseguiram dominar toda a Mesopotâmia durante mais de seis séculos.

Assírios e caldeus

Os assírios, uma mistura de semitas, mitânios e curdos, que viviam no norte da Mesopotâmia, foram os primeiros a reagir contra a dominação dos cassitas. Aos poucos, contando com um bom exército, conseguiram dominar todas as cidades da Mesopotâmia.

A sociedade e a cultura

Todos os povos que em algum momento dominaram a Mesopotâmia adotaram o modo de vida dos sumérios: aprenderam a plantar e colher, faziam obras para controlar e aproveitar as enchentes e começaram a usar a escrita cuneiforme.

Na forma de governo isso também aconteceu. Cada cidade tinha o seu deus, e o rei era o representante dele na Terra: seu poder era absoluto. Quando a Mesopotâmia tornou-se um império, o rei governava com a ajuda de nobres pertencentes às famílias mais antigas desses povos.

Havia sempre uma classe privilegiada que dizia o que o resto das pessoas tinha de fazer. Na sociedade dos sumérios, os juízes eram os privilegiados. Na sociedade dos assírios, os militares ditavam as leis. Os caldeus obedeciam àquilo que os sacerdotes lhes impunham.

Além da classe privilegiada, a sociedade dos povos da Mesopotâmia contava com uma corte de nobres, formada pelos descendentes das famílias mais antigas.

A maioria de homens livres era composta de soldados e camponeses que eram obrigados a construir os canais e os diques quando não havia escravos disponíveis. Os escravos eram, quase sempre, prisioneiros de guerra.

A religião

Os povos da Mesopotâmia eram politeístas, acreditavam em muitos deuses. Cada cidade tinha o seu deus protetor, que se comunicava com os homens por meio dos astros e das estrelas, do vento, da chuva, dos raios e das tempestades. Eles tinham anjos e demônios, sendo que, para muitos, foram os primeiros a falar sobre tais seres divinos e maléficos.

Desafios

Questão 1

Supõe-se que a religião deve ter surgido:

a) No Egito.

b) Na Grécia.

c) No paleolítico.

d) No neolítico.

e) Na Mesopotâmia.

Questão 2

Qual das alternativas abaixo não tem um povo original da Mesopotâmia?

a) Assírios.

b) Babilônios.

c) Caldeus.

d) Egípcios.

e) Sumérios.

Questão 3

Entre as principais características da Civilização Hebraica, merecem destaque especial:

a) A religião politeísta em que as figuras mitológicas de Abraão, Isaac e Jacó formavam uma tríade divina.

b) A criação de uma federação de cidades autônomas e independentes (cidades-Estado) controladas por uma elite mercantil.

c) A criação de um alfabeto (aramaico) que seria incorporado e aperfeiçoado pelos egípcios, tornando-se conhecido como escrita hieroglífica.

d) As práticas religiosas caracterizadas pela crença na existência de um único Deus (monoteísmo) e no messianismo, pois acreditavam na vinda de um messias libertador do povo hebreu.

e) As inovações tecnológicas desenvolvidas na agricultura, possibilitando grande crescimento da produtividade agrícola na região palestina.

Questão 4

No Egito, qual a função das pirâmides?

a) Serem somente obras para mostrar o poder da capacidade egípcia de construção.

b) Marcos para mostrar a permanência dos hebreus no Egito.

c) Serem templos aos deuses, onde inclusive eram feitos sacrifícios humanos.

d) O de ser túmulos para os faraós que as mandaram construir.

e) Marcos do poder militar dos egípcios frente aos povos da África.

Questão 5

(FUVEST 94) Sobre o surgimento da agricultura – e seu uso intensivo pelo homem – pode-se afirmar que:

a) foi posterior, no tempo, ao aparecimento do Estado e da escrita.

b) ocorreu no Oriente próximo (Egito e Mesopotâmia) e daí se difundiu para a Ásia (Índia e China), Europa e, a partir desta para a América.

c) como tantas outras invenções tiveram origem na China, donde se difundiu até atingir a Europa e, por último, a América.

d) ocorreu, em tempos diferentes, no Oriente Próximo (Egito e Mesopotâmia), na Ásia (Índia e China) e na América (México e Peru).

e) de todas as invenções fundamentais, como a criação de animais, a metalurgia e o comércio, foi a que menos contribuiu para o ulterior progresso material do homem.

 Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!