Faltam:
para o ENEM

O Verbo e as Vozes Verbais- Gramática Enem

Você já sabe que o verbo é a ligação entre o Sujeito da Oração e o Predicado. Então, aprenda como identificar as Vozes Verbais nesta aula de Gramática Enem

Verbo

Não sei… se a vida é curta ou longa demais para nós,

Mas sei que nada do que vivemos tem sentido,

Se não tocarmos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:

Colo que acolhe,

Braço que envolve,

Palavra que conforta,

Silêncio que respeita,

Alegria que contagia,

Lágrima que corre,

Olhar que acaricia,

Desejo que sacia,

Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,

É o que dá sentido à vida.

É o que faz com que ela não seja nem curta,

nem longa demais,

Mas que seja intensa,

Verdadeira, pura…

Enquanto durar

(Cora Coralina)

Verbo e vozes verbais 

Cora Coralina (Goiás,1889 – 1985)

Após a leitura do poema, constatamos a riqueza de verbos que nele aparece. Alguns manifestam processos de ação (acariciar), estado (a vida é curta), satisfação (saciar), além desses retirados do texto, existem outros que expressam existência (haver), ocorrência (ocorrer), desejo (querer) e fenômeno natural (chover).

O verbo é uma das palavras que pertence ao rol das seis classes gramaticais variáveis (substantivo, adjetivo, artigo, numeral, pronome e verbo), ou seja, apresenta flexões. Em especial, ele é o que se mostra com maior número de flexão: modo, tempo, número, pessoa e voz.

Flexões verbais

Ao estudarmos a estrutura dos verbos, verificamos as suas desinências de modo-temporal e número-pessoal, as quais constituem as flexões verbais, faltando ainda destacar a de voz.

Flexão de voz

A flexão de voz estabelece uma relação entre o sujeito e o seu verbo. Dependendo do vínculo entre os termos, o verbo pode apresentar-se na voz ativa, passiva e reflexiva.

Voz ativa

Na frase “Um dentista arranca os dentes das pessoas”, quem pratica a ação de arrancar os dentes é o dentista. Nesse caso, o sujeito é o agente do processo verbal. A voz ativa indica que o fato expresso pelo verbo é realizado pelo sujeito.

Voz passiva

Na voz passiva, o sujeito não realiza o fato expresso pelo verbo, mas sofre a ação. Imagine se trocássemos a ordem dos termos da frase “Um dentista arranca os dentes das pessoas” para a seguinte construção: Os dentes das pessoas são arrancados por um dentista. Qual seria o sujeito da oração agora? Os dentes das pessoas. Nessa situação, o sujeito não é o agente da ação verbal, entretanto o ser que a sofreu. E quem praticou então a ação? Continua a ser o dentista, que passa a ser chamado agente da passiva – termo que pratica a ação na voz passiva. A voz passiva pode expressar-se de forma analítica ou sintética.

Dica 1 – Preparado para o Exame Nacional do Ensino Médio? Tire todas as suas dúvidas sobre Artigos e Adjetivos em mais uma aula de Gramática Enem – https://blogdoenem.com.br/artigo-e-adjetivo-gramatica-enem/

Passiva analítica estrutura-se a partir de dois verbos: um auxiliar (ser ou estar) seguido de um principal na forma nominal do particípio. Este irá expressar o fato. Lembre-se que as desinências que indicam o particípio são –ado (para 1ª conjugação) e –ido (para 2ª conjugação).

Exemplo:

 Passiva analítica estrutura-se a partir de um verbo na 3ª pessoa concordando com o seu sujeito seguido do pronome apassivador (se). Nesse caso, não há o agente da passiva.

Exemplo:

Quando temos a passiva sintética, é possível transformá-la em analítica. Veja:

Exemplos:

Queimou-se a mata. = A mata foi queimada.

Queimaram-se as matas. = As matas foram queimadas.

Caso não seja permitido, isso significa que não estamos diante de voz passiva sintética. Veja:

Precisa-se de empregados. De empregados é preciso. Essa construção não é admitida no português.

Voz reflexiva

Ocorre a voz reflexiva quando o sujeito é o agente e paciente da ação verbal, ou seja, ele pratica e recebe a ação ao mesmo tempo. Veja, a seguir, como forma-se a sua estrutura.

Exemplos:

Eu me penteei.

Tu te penteaste.

Ele se penteou.

Nós nos penteamos.

Vós vos penteastes.

Eles se pentearam.

Formas nominais

São chamadas dessa forma porque assumem funções tanto de verbos quanto de nomes, ou seja, de adjetivo, advérbio ou substantivo. A seguir, faremos algumas observações quanto ao emprego delas.

Infinitivo Impessoal

O infinitivo impessoal é a forma como nomeamos os verbos. É o processo verbal sem nenhuma ideia de modo e tempo e, além disso, não se refere a nenhuma pessoa do discurso.

Infinitivo pessoal

O infinitivo pessoal concorda em número e pessoa com o ser ao qual se refere.

Exemplos:

O homem precisa de objetivos para vencer na vida.

É preciso calma para vencermos na vida.

Gerúndio

O gerúndio quando exerce a função de verbo, apresenta um processo em andamento ou em curso.

Exemplos:

Estou pensando em viajar para a África.

Chegando à escola, telefone-me.

Dica 2 – Lembra tudo sobre os Substantivos? Revise com esta aula de Gramática Enem e fique preparado para o Exame Nacional do Ensino médio! – https://blogdoenem.com.br/substantivos-gramatica-enem/

Quando indicar uma circunstância de modo nas frases, passará a advérbio.

Exemplo:

O aluno entrou na sala comendo. (advérbio)

 Particípio

O particípio está presente nos tempos compostos, nas locuções verbais, e nas orações reduzidas.

Exemplos:

Ele tinha ficado com meu dinheiro. (tempo composto)

A mulher trouxe a roupa, feita pelo seu estilista. (reduzida)

A menina foi acolhida até que sua saúde melhore. (locução verbal)

Os meninos foram acolhidos até que a saúde deles melhore.(locução verbal)

Observação: Perceba que as formas nominais, acima destacadas, acumulam duas funções (de verbo e de nome) ao mesmo tempo.

O particípio terá função de adjetivo quando qualificar o substantivo ao qual se refere.

Exemplo:

Tinha comportamento determinado em razão da ausência do pai. (adjetivo)

Locuções verbais

Chamamos de locução verbal a combinação de um verbo auxiliar seguido de outro principal em uma das formas nominais (infinitivo, gerúndio ou particípio). Às vezes o verbo auxiliar amplia o aspecto semântico do verbo principal. Entre o auxiliar e o principal no infinitivo pode ocorrer uma preposição.

Veja os exemplos:

Ontem pude fazer meus deveres com meus colegas.

Os meus pais estavam por sair de casa.

Os alunos estavam brincando em sala.

Tenho falado muito sobre a miséria brasileira.

Meu irmão deverá ficar em casa hoje.

Mila começou a entender movimento retilíneo uniforme agora.

Saiba mais sobre Vozes Verbais nesta aula do canal Aulalivre.net, disponível no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=NJVfvigU06Q]

Desafios

Questão 1

Sabe-se que um verbo está na voz ativa quando o seu sujeito pratica a ação. Com base nessa informação, pode-se dizer que, na frase A vida é curta, o verbo esteja na voz ativa?

Dica 3 – Lembra o que são Derivações Prefixal, Parassintética e Regressiva? Revise nesta aula sobre Processos de Formação das Palavras para a prova de Gramática Enem – https://blogdoenem.com.br/formacao-das-palavras-gramatica-enem/

Questão 2

A flexão de voz assinala a relação que se estabelece entre o verbo e o seu sujeito. Com base no estudo de vozes verbais, marque a alternativa em que há voz reflexiva.

a) A moça penteou-se com cuidado.

b) Reformou-se o apartamento.

c) O vento forte destruiu telhados.

d) Plantou-se uma árvore.

e) Acredita-se na vitória.

Questão 3

Sabemos que as locuções verbais desempenham funções equivalentes a um único verbo. Diante disso, seria possível transformar as locuções destacadas nas frases a seguir por um verbo somente. Argumente.

Minha professora de História disse que podíamos fazer o trabalho em grupo.

A aluna deve estudar para a prova de Artes.

Questão 4

Estudamos que o aspecto verbal é a categoria que expressa o significado que o verbo vai assumir dentro do contexto. Assim, assinale a alternativa em que o comentário sobre o aspecto verbal – dos verbos em destaque – não está de acordo com o contexto da frase apresentada.

a) Sabiam exatamente as marcas de relógio que queriam; coisa fina, nada de despertadores baratos. (Indica uma ação habitual ou de frequência.)

b) Levem tudo, mas nos respeitem. (Denota a ideia de ordem.)

c) Dupla assalta joalheria e escolhe marcas de relógio para levar. (Expressa fatos passados, conferindo-lhes atualidade.)

d) A vendedora-chefe pediu licença, foi até o escritório e voltou com um documento escrito em inglês. (Exprime fatos concluídos no passado.)

e) (…) ligou para o dono, que aliás morava ali perto, pediu que viesse para atender “dois clientes muito importantes”. (Informa uma ação passada, duradoura e certa.)

Questão 5

(PUC – MG) O presente do indicativo foi usado para marcar um fato futuro em:

a) Ao olhar melancolicamente as fotografias, admiro-me de sua juventude.

b) E tua lembrança emerge de teu misterioso retrato.

c) No próximo inverno, acompanho, de minha casa, as imensas migrações dos pássaros.

d) Sabe me dizer se é funda esta água grossa e carnal?

e) Surpreende-me saber que estávamos começando a caminhada.

 

Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!