Faltam:
para o ENEM

As Funções da Linguagem – Revisão de Gramática Enem

Você lembra quais são os tipos de Funções da Linguagem? Revise com esta aula e fique preparado para o Enem! Cai sempre, no Enem e no Vestibular. Veja abaixo o conteúdo e faça os exercícios.

As Funções da Linguagem. Você lembra ‘na ponta da língua’ quais são elas, e como identificar na comunicação humana? Não? – Então é hora de revisar, porque cai no Enem e nos Vestibulares. Vamos lá!

As Funções da Linguagem – Ao produzir um texto você também realiza a comunicação. Nesse ato, além de querer ser compreendido, deseja que suas idéias sejam depreendidas e aceitas pelo receptor.

funções da linguagemE, para a eficácia desse processo, são precisos seis elementos: emissor, receptor, canal, mensagem, código e contexto ou referente. Com base nesses elementos, podemos articular outro elemento, conforme a intenção do ato comunicativo.

Deste modo, a linguagem atingiria diferentes funções ao dar prioridade a determinado elemento da comunicação. Classificamos essas Funções da Linguagem em seis tipos:  emotiva ou expressiva;  – referencial ou informativa; – poética, conativa ou apelativa; fática e metalinguística.

Função da Linguagem: Emotiva ou Expressiva

Leia a seguir a carta escrita por Jorge Amado a Zélia Gattai quando o escritor participava do Congresso da Paz, em Viena, em 1951. Essa carta é um exemplo de função emotiva.

Viena, 4

Meu amor,

Recebi hoje pela manhã teu telegrama, vou a buscar amanhã, segunda-feira, os remédios pedidos. Faço-te este bilhete durante uma reunião de Comissão para te enviar minha saudade a ti, a João e a Paloma.

Nunca tive tanto trabalho em toda a minha vida. Entro no local da reunião antes das 8 da manhã e saio sempre depois da meia-noite. Ontem saí 1 e meia da manhã e fui despertado com teu telegrama às 6h. Estou fatigadíssimo. Todo mundo vai sem novidade. Todos te enviam abraços.

Neste momento que te escrevo Dona Branca deve estar falando em plenário. Oh! Meu Deus!, que senhora chata. Já estou farto.

Fiquei contente em saber que todos estão bem. Beija os meninos por mim e recebe um beijo meu com toda a saudade e o carinho do teu

Jorge”.

(Revista Cult, 165 – ano 15, fev.2012 – in Dossiê Jorge Amado, p.41)

Com a leitura, você observa que o autor está centrado em si mesmo, revelando seus sentimentos e suas emoções (minha saudade a ti, Fiquei contente), por isso é comum a constância do pronome de primeira pessoa (minha, meu, mim) e verbos nessa mesma pessoa (recebi, tive, saio, escrevo…)

O texto manifesta também opiniões (Oh! Meu Deus!, que senhora chata). A realidade do autor é retratada de forma subjetiva, é o seu ponto de vista que está em jogo. Além dessas características analisadas, o ponto de interrogação, reticências e exclamações são sinais que revelam emoções do emissor.

Portanto, tudo o que em uma mensagem revelar emoções, sentimentos, opiniões e avaliações do emissor diante da vida pertencerá à função emotiva da linguagem.

Observe ao lado um exemplo na linguagem não verbal da função emotiva.

4395.png

Revista Veja. São Paulo : Abril, n.31 – 03 ago.2011 – Panorama.

Curso Enem Gratuito

Aumente as suas chances na disputa das vagas estudando com as Aulas, Exercícios e Simulados Online do Curso Enem Gratuito. Todas as matérias do Exame e os fundamentos da Redação foram analisadas e transformadas em tópicos para você estudar.  Acesse o Curso Enem Gratuito.

curso enem gratuito blue fino
Aulas, Dicas, Exercícios e Simulados gratuitos. Veja.

Função da Linguagem: Referencial ou Informativa

Leia a notícia apresentada a seguir: 06/02/2007 – 13h37 – G1 – Planeta Bizarro

Polícia prende 155 cabras e leva todas de camburão para a delegacia

Devastaram plantação de tomate e milho de um argentino.

Verdadeiro dono não apareceu para pagar fiança.

MENDOZA, Argentina – O agricultor Antonio Vergel decidiu colher alguns dos tomates e milhos que cultiva em seu sítio em Mendoza, na Argentina e, quando pôs os olhos na plantação, seu coração gelou: uma quantidade inacreditável de cabras devorava tudo o que via pela frente.

Depois de tentar sem sucesso espantar a horda de invasores, Vergel ligou para a delegacia, segundo foi publicado no site argentino Infobae.

“Eram dez e pouco da manhã e o homem, alucinado, nos contava sua tragédia. Fomos ao local com um caminhão preparado para o transporte de animais, mas chegando lá vimos que eram realmente muitas”, declarou um dos policiais ao Los Andes online.

Uma a uma, elas eram colocadas no caminhão na condição de presas. Foram encaminhadas a um centro de detenção de animais da polícia em Los Corralitos.

Na mesma tarde, pelo menos três pessoas apareceram dizendo ser as proprietárias do rebanho. A polícia afirmou que não vai ser assim tão fácil tirar a bicharada da cadeia.

Elas foram enquadradas no código 114 do Código Penal argentino, e o verdadeiro dono das cabras vai ter que pagar uma nota para libertá-las. Sem falar nos tomates e milhos do agricultor inconformado.

(Disponível em: g1.globo.com/planeta-bizarro)

Você notou, que a notícia acima, o autor utiliza a linguagem de forma direta, objetiva e impessoal: não tece comentários ou expressa qualquer juízo de valor quanto ao assunto abordado. Além disso, os vocábulos não são empregados em sentido figurado, negando a possibilidade de mais de uma interpretação por parte do leitor. A mensagem foi organizada com a intenção de transmitir informação precisa.

Portanto, no texto em questão, predomina a função referencial (denotativa) da linguagem, centrada na informação.

Pode-se encontrar esse tipo de função em textos de caráter científico e jornalístico. Também predomina a função referencial na combinação do código não-verbal e verbal, como pode ser visto no exemplo.

4483.png

(Disponível em: blog.mcsx.net)

Redação Enem Nota 1000 – Veja como chegar lá:

Quatro passos para uma Redação Enem Nota 1000
1 – A Estrutura da Redação
2 – Como fazer a Introdução da Redação
3 – Como defender um ponto de vista
4 – Três técnicas para fazer uma boa Conclusão

Função da Linguagem: Poética

4495.png

A rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças

Mudas telepáticas,

Pensem nas meninas

Cegas inexatas,

Pensem nas mulheres

Rotas alteradas,

Pensem nas feridas

Como rosas cálidas.

Mas, oh, não se esqueçam

Da rosa, da rosa!

Da rosa de Hiroshima,

A rosa hereditária,

A rosa radioativa

Estúpida e inválida,

A rosa com cirrose,

A anti-rosa atômica.

Sem cor, sem perfume,

Sem rosa, sem nada.

(Vinicius de Moraes)

O poema A rosa de Hiroshima revela que o poeta desejava valorizar a mensagem a ser transmitida e, para isso, além de explorar o conteúdo (os efeitos da bomba), também se preocupou com a forma de construção do texto. Para construí-lo, o autor cultivou alguns recursos que são capazes de despertar no leitor certo prazer estético (pelo seu caráter inovador) e uma determinada impressão.

Dica 2 – Gramática Enem –  Veja aqui aula sobre as Variantes Linguísticas

Logo, quando o emissor se preocupa em enfatizar a construção e a elaboração da mensagem, tem-se o predomínio da função poética. Embora esta seja mais corrente em poesias também pode ser encontrada em textos publicitários, alguns textos jornalísticos (crônicas) e populares (provérbios) e romances (Iracema, de José de Alencar, por exemplo, é um poema em prosa).

Desafios para você resolver e compartilhar suas respostas nos comentários.

Questão 1 – Leia este texto abaixo e identifique qual a função da linguagem predominante nele. Dê duas justificativas.

A rainha Elizabeth I, conhecida como a Rainha Virgem, adotou a Rosa Tudor como seu emblema e escolheu as palavras “Rosa sine spina” como seu mote. Ficou conhecida como rosa sem espinho e muitos dos poetas elisabetanos escreveram sobre ela. A rosa tem sido o emblema nacional da Inglaterra desde então. O país é famoso por suas rosas e é raro um jardim que não as contenha. Não há nada igual ao perfume dessas flores, e é uma felicidade que a arte dos perfumistas tenha atingido tamanho grau de sofisticação que lhes permita reproduzir o aroma para nós e para os lares. Mas é Shakespeare que tão perfeitamente sumariza as virtudes da rosa em suas palavras.

(A linguagem das Flores, Sheila Pickles. Melhoramentos: São Paulo, 1990. P.93)

Questão 2 – Leia o poema a seguir e identifique qual a função da linguagem predominante nele. Dê duas justificativas.

Soneto LIV

Ó como mais bela a beleza torna-se

quando tem o doce ornamento da verdade!

A rosa é bela, mas mais bela a vemos

pelo doce aroma que nela habita.

As rosas silvestres têm a mesma cor

que as doces rosas perfumadas,

os mesmos espinhos, a mesma volúpia

quando o ar do verão expõe os botões escondidos;

mas como têm na aparência única virtude,

elas vivem esquecidas e murcham obscuras,

sozinhas morrem. As doces rosas, não;

de suas doces mortes nascem os mais doces perfumes.

Assim também de ti, bela e amável jovem,

fenecido o frescor, tua verdade em meu verso persiste.

(Willian Shakespeare)

Questão 3 – Observe a tela e identifique qual a função da linguagem predominante nela. Dê duas justificativas.

4604.png

Os relógios ou As horas derretidas, de Salvador Dali

Questão 4 – Em relação ao texto apresentado a seguir, assinale a opção que indica corretamente qual é a função da linguagem predominante.

Humor

Excelente o texto de Sírio Possenti sobre as frases humoradas e seus sentidos (Língua 75). Uma grande oportunidade para entender o idioma sem caretices.

Marta Oliveira Sérgio (BA), na seção Cartas de leitor da Revista Língua Portuguesa.

a) Função poética, porque o texto centra-se na mensagem e em como ela é transmitida.

b) Função conativa, pois o autor utiliza diversos recursos para convencer o leitor de suas ideias.

c) Função metalinguística, uma vez que faz reflexões sobre o próprio código.

d) Função referencial, na qual o emissor tem a função de transmitir informações.

e) Função emotiva, pois o texto expressa uma opinião e de forma subjetiva para revelar o “eu” que fala ao leitor.

Questão 5 – (Enem/ 2009)

Canção do vento e da minha vida

O vento varria as folhas,

O vento varria os frutos,

O vento varria as flores…

E a minha vida ficava

Cada vez mais cheia

De frutos, de flores, de folhas.

[…]

O vento varria os sonhos

E varria as amizades…

O vento varria as mulheres…

E a minha vida ficava

Cada vez mais cheia

De afetos e de mulheres.

O vento varria os meses

E varria os teus sorrisos…

O vento varria tudo!

E a minha vida ficava

Cada vez mais cheia

De tudo.

(BANDEIRA, M. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1967.)

Predomina no texto a função da linguagem:

a) fática, porque o autor procura testar o canal de comunicação.

b) metalinguística, porque há explicação do significado das expressões.

c) conativa, uma vez que o leitor é provocado a participar de uma ação.

d) referencial, já que são apresentadas informações sobre acontecimentos e fatos reais.

e) poética, pois chama-se a atenção para a elaboração especial e artística da estrutura do texto.

Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!