Mercantilismo: a política econômica do Absolutismo – História Enem

Confira o conteúdo sobre o Mercantilismo. Você sabia que ele foi a política econômica do Absolutismo Monárquico? Cai no Enem e nos vestibulares. Então, vamos revisar?

Durante a Alta Idade Média (séculos V a X) a medida da riqueza era a terra. Com o renascimento do comércio e a ascensão da burguesia a partir do século XI, o indicador de riqueza de uma pessoa ou de um país passou a ser o dinheiro.

As Monarquias Absolutistas que surgiram então passaram a adotar, entre os séculos XVI e XVIII, um conjunto de ideias e práticas econômicas para conseguir riqueza e poder: o mercantilismo.

Mercantilismo e AbsolutismoAs atividades comerciais (mercantis) tinham grande importância neste sistema econômico, daí o nome de mercantilismo.

Dica 1 – Você sabia que com a formação dos Estados Modernos ocorreu a centralização monárquica que resultou no absolutismo? E que este conteúdo é importante para você entender o mercantilismo? Então, o que você está esperando? Acesse: https://blogdoenem.com.br/historia-formacao-estado-moderno/

É importante lembrar que absolutismo e mercantilismo caminharam sempre juntos.  As práticas mercantilistas tinham como objetivo fortalecer o poder do rei através do enriquecimento da nação.

Mercantilismo e Absolutismo

O mercantilismo variou de um país para outro, mas apresentou alguns princípios básicos. Vamos ver quais foram eles?

Metalismo ou Bulionismo: quanto mais ouro e prata uma nação possuísse, mais rica ela seria.  Por isso, muitos governos evitavam a saída de metais preciosos dos cofres do Estado.

Balança comercial favorável: princípio decorrente do metalismo.  Na época o dinheiro era feito de outro e prata e para reter esses metais em um país era necessário exportar o máximo e importar o mínimo, obtendo um saldo positivo na balança comercial.

Protecionismo: incentivo ao comércio, à indústria e à marinha mercante nacionais, protegendo-os da concorrência externa. Recomendava-se o aumento dos impostos sobre os produtos estrangeiros a fim de torná-los mais caros do que os nacionais.

Estímulo às manufaturas locais: ao aumentar a produção de bens manufaturados (tecidos e ferramentas, por exemplo) os governos abasteciam o mercado interno, exportavam mais e diminuíam as importações, o que rendia mais moedas para a Coroa.

Conquista de colônias: as colônias deveriam comercializar apenas com as metrópoles.

Dica 2 – É importante lembrar que absolutismo e mercantilismo caminharam sempre juntos.  Então que tal rever o conteúdo sobre absolutismo monárquico? Acesse: https://blogdoenem.com.br/absolutismo-reis-historia-enem/

Vamos assistir agora a uma aula em vídeo do professor Gabriel Feitosa sobre este conteúdo?

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=cM2XsOh-7Uo]

Gostou? Então, vamos continuar?

Como você viu, o mercantilismo variou no tempo e no espaço. Na Espanha (século XVI) predominou o metalismo. Na França (século XVIII) predominou o protecionismo. Na Inglaterra, a rainha Elizabeth I se empenhou em incentivar o comércio exterior e a marinha mercante.

No mercantilismo o intervencionismo estatal na economia se fez presente. Os governos absolutistas tomavam decisões sobre exportações, importações, impostos cobrados sobre produtos importados, produção de manufaturas e exploração colonial.

Dica 3 – Vai fazer o próximo Enem ou Vestibular? Veja aqui o que mais cai nas provas e as melhores dicas de estudo para todas as matérias: https://blogdoenem.com.br/cai-na-prova/

Exercício – Agora chegou a sua vez! Responda a esta questão de vestibular que o Blog do Enem preparou para você.

(UNEMAT/MT) Leia analiticamente, as recomendações do conselheiro P. W. von Hornick para o enriquecimento do reino austríaco no século XVII: “[…] ouro e prata, uma vez no país, sejam estes provenientes das minas do país ou obtidos de países estrangeiros por meio de indústria, não devem em caso algum […] ser levados embora, nem tampouco deve ser permitido que sejam enterrados em cofres ou caixas fortes; mas devem ficar perpetuamente em circulação. […] os habitantes do país deveriam fazer todo esforço de limitar os seus luxos aos produtos domésticos [do país] e […] dispensar os produtos estrangeiros o quanto possível”. (Apud Carvalho, Delgado D. História documental moderna contemporânea. Rio Janeiro. Record, 1976, p.102.)  Estas orientações referem-se a uma doutrina econômica administrativa da Era Moderna. Assinale a alternativa correta.

A – (     ) Capitalismo.
B – (     ) Feudalismo.
C – (     ) Comunismo.
D – (     ) Escravismo.
E – (     ) Mercantilismo.

Resposta: A alternativa correta é a letra “e”.

Carla Regina História
O texto desta aula foi preparado pela professora Carla Regina da Silva para o Blog do Enem. Carla é formada em licenciatura e bacharelado em História pela UFSC. https://www.facebook.com/carla.regina.779.