O Enem abre portas: inscreva-se e participe! 

O número de inscritos no Enem vem caindo. Mas, chegou a hora de reverter essa situação e apostar na educação como porta para um futuro ainda mais promissor!

Nesta sexta-feira, dia 16 de junho, termina o prazo para que estudantes se inscrevam para o Enem 2023. O Exame Nacional do Ensino Médio é a principal forma de entrar para o ensino superior brasileiro. Por isso, a maior avaliação educacional do país é importante para quem deseja fazer um curso de graduação hoje em dia. 

A taxa de inscrição, de R$ 85,00, que confirma a participação, vai até o dia 21 deste mês. O valor pode ser pago por boleto, Pix, cartão de crédito, débito em conta-corrente ou poupança. 

Hoje, vamos te contar por que diversas entidades têm se mobilizado para incentivar a participação de mais estudantes na prova. Confira também o passo a passo para fazer a sua inscrição e uma alternativa gratuita para se preparar melhor para o exame!

Inscrições do Enem 2023: ainda dá tempo!

Se você ainda não fez a sua inscrição, ainda dá tempo de participar. Para isso, basta acessar a Página do Participante e seguir as instruções da assistente virtual Nanda, que vai apresentar todas as opções disponíveis. 

Preparamos um passo a passo super completo para te orientar na hora de fazer a sua inscrição. Assista ao vídeo!

O calendário completo do Enem também pode auxiliar na sua organização para não perder nenhum prazo:

  • Período de inscrições: de 5 a 16 de junho
  • Aplicação das provas: 5 e 12 de novembro
  • Divulgação dos gabaritos: 24 de novembro
  • Divulgação dos resultados: 16 de janeiro de 2024

Por que fazer o Enem é tão importante? 

A participação no Exame Nacional do Ensino Médio mantém sua importância, mesmo diante dos obstáculos e da diminuição do número de inscritos. Isso porque, o Enem continua sendo a principal oportunidade de ingressar em um curso universitário.

Uma das vantagens notáveis é a ampla gama de possibilidades que o exame oferece. Por exemplo, nos programas do Ministério da Educação (MEC), não é necessário pagar taxa de inscrição (apenas a taxa para realizar o exame, caso não seja elegível para a isenção). Além disso, é possível escolher entre diversas opções de cursos e instituições em todo o país.

Dessa forma, o candidato tem maiores chances de ser aprovado. Ao contrário dos vestibulares tradicionais, nos quais a oportunidade se restringe à instituição que realiza a prova, por meio do Enem é possível utilizar a nota de diferentes maneiras e em qualquer região do Brasil.

Consequentemente, muitos estudantes têm buscado oportunidades através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e outras iniciativas do MEC, como o Prouni e o Fies, deixando suas cidades de origem para estudar.

Portanto, é essencial continuar buscando a consolidação do Enem e outras possibilidades concretas que contribuam para a redução das desigualdades e a democratização do acesso ao ensino superior. 

O que explica a diminuição das inscrições no Enem 

Nos últimos anos, tem sido observada uma drástica diminuição no número de participantes no Enem. O maior número de inscrições foi registrado em 2014, com cerca de 8,7 milhões de pessoas se inscrevendo para o exame.

No entanto, o exame tem tido uma redução gradual na quantidade de inscritos. Em 2021, foi registrado o menor número de inscrições, com apenas 3,1 milhões de participantes.

Dados extraídos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) demonstram a diminuição no número de inscritos no Enem nos últimos 14 anos: 

  • 2022: 3.396.632 inscritos
  • 2021: 3.109.800 inscritos
  • 2020: 5.783.483 inscritos
  • 2019: 5.095.388 inscritos
  • 2018: 5.513.712 inscritos
  • 2017: 6.731.300 inscritos
  • 2016: 8.627.371 inscritos
  • 2015: 7.792.025 inscritos
  • 2014: 8.722.290 inscritos
  • 2013: 7.173.574 inscritos
  • 2012: 5.791.332 inscritos
  • 2011: 5.380.857 inscritos
  • 2010: 4.626.094 inscritos
  • 2009: 4.148.721 inscritos

Mas o que explica esse fenômeno? Bem, a crise econômica de 2015 e a pandemia, a partir de 2020, contribuem para a queda nos números. No entanto, outros fatores políticos e socioeconômicos também têm colaborado significativamente para o desinteresse dos estudantes pelo exame, que é a principal porta de entrada para o ensino superior no país.

Esses problemas estão relacionados a questões como a falta de perspectiva em relação ao ensino superior e o fato de jovens em situação de vulnerabilidade ingressarem precocemente no mercado de trabalho informal.

Nos últimos anos, houve ainda um movimento de deslegitimação das universidades que acabou favorecendo a desvalorização cultural de algumas parcelas da sociedade em relação às instituições, especialmente as públicas, que são as mais disputadas.

Além disso, desde 2019 foram registrados diversos problemas, como a divulgação incorreta de notas, mudanças frequentes na gestão do Inep, baixo índice de isenção nas taxas de inscrição, suspeitas de controle ideológico nas provas, além do abandono que a maioria dos candidatos enfrentou durante a pandemia, devido à falta de coordenação central na área da educação. Isso representou uma irresponsabilidade criminosa com o futuro de milhões de estudantes.

Hoje, felizmente, o movimento que se vê, tanto do governo, quanto de diversas entidades e instituições, é de incentivo à ampliação na participação de estudantes no exame, em especial para quem mora nas periferias.

O próprio presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, destacou a ação transformadora da educação como meio para que as pessoas construam uma vida produtiva mais promissora e com capacidade de sonhar, em um apelo para que os jovens se inscrevam no Enem. 

Como estudar para o Enem e garantir uma boa nota? 

Agora, talvez você esteja se perguntando como é possível se preparar para fazer o Enem, certo? 

A boa notícia é que você pode contar com uma plataforma de estudos totalmente sem custos para estudar. 

O Curso Enem Gratuito disponibiliza aulas, videoaulas, e-books e simulados elaborados a partir dos conteúdos que mais foram cobrados nos últimos 10 anos de aplicação do Enem. Ou seja, você vai aprender ou revisar aquilo que é importante de verdade para garantir uma boa nota. 

As trilhas de aprendizado são organizadas em Planos de Estudos e você já pode começar, quer ver como? 

O Semiextensivo já começou! 

As aulas do Plano de Estudos Semiextensivo do Curso Enem Gratuito começaram no dia 5 de junho, mas você ainda pode fazer a sua inscrição para acompanhar os conteúdos até o mês de outubro. 

Basta acessar o site oficial, preencher o formulário e pronto! Com a inscrição, você recebe mapas mentais dos conteúdos que mais caem no Enem e acessa o cronograma de estudos com todas as matérias separadas por dia. 

Além disso, o Curso Enem Gratuito também vai lançar o Plano de Estudos Intensivo, no mês de agosto, para quem não tem tempo disponível agora para se dedicar aos estudos. 

E, para reforçar ainda mais o que você aprendeu, nas semanas que antecedem as provas do Enem, teremos uma revisão especial dos conteúdos. 

Vamos juntos estudar e garantir uma nota excelente no Enem! 

Melina Zanotto

Melina Zanotto é Jornalista, formada pela Universidade de Caxias do Sul em 2007. De lá para cá, sempre atuou com conteúdo digital em seus mais diversos formatos. Hoje, é redatora da Rede Enem, produzindo textos para o Blog do Enem e Curso Enem Gratuito.
Categorias: Enem
Encontrou algum erro? Avise-nos para que possamos corrigir.

Sisugapixel

Sisugapixel