Iluminismo – Revisão de História e Filosofia: Enem e vestibular

O Iluminismo surgiu logo após o Renascimento Cultural. Entenda como ele influenciou a Revolução Francesa e a Independência dos EUA. Vale para História e Filosofia no vestibular e no Enem. Confira abaixo.

O Iluminismo – Veja como um grupo de pensadores mudou a cultura da Europa Ocidental no século XVIII. Com você, os filósofos e cientistas ‘Iluministas’. A França foi o berço do Iluminismo. Veja a raiz da Revolução Francesa, do lema ‘Igualdade, Liberdade, e Fraternidade’, e da Independência Americana.

O movimento de ideias ocorrido no século XVIII, na Europa Ocidental, ficou conhecido como Iluminismo, Século das Luzes, ou ainda Ilustração. A origem do nome vem do latim “lumini” que quer dizer luz. Já nesse tempo, o fato de se ter uma ideia era considerado uma luz por se encontrar na busca de soluções ou saídas de qualquer problema. E, fato mais fato durante o dia, quando se tem claridade.

Precursores do Iluminismo – Ligado às características do Renascimento Cultural, o Iluminismo está vinculado diretamente ao desenvolvimento científico ocorrido durante o século XVII, com Galileu, Descartes, Newton e outros nomes.

Confira também uma revisão especial sobre Galileu Galilei, físico e matemático italiano que comprovou cientificamente entre 1600 e 1610 que era a Terra que girava ao redor do Sol, e não o contrário, como defendia o pensamento católico dominante na época. Galileu confirmou no começo do século XVII as teses heliocêntricas com a observação feita pelo telescópio da orbita de satélites ao redor do Planeta Júpiter.

Antes de Galileu utilizar lunetas e telescópios para promover a observação do movimentos dos astros o padre e cientista Giordano Bruno foi queimado vivo numa fogueira porque defendia a mesma tese. Clique na imagem para ver aula completa sobre  o pensamento e as descobertas de Galileu Galilei no campo da física:

Galileu Galilei - Precursor do Iluminismo
Veja nesta aula como Galileu Galilei foi precursor do Iluminismo ao mostrar que a Terra gira ao redor do Sol

O Pensamento dos Iluministas – A essência do Iluminismo era de um movimento filosófico aplicado ao cotidiano. A burguesia emergente estava desejosa de mudanças, principalmente nos campos da política e economia; no primeiro plano criticavam as monarquias absolutistas. E, na economia, criticavam o mercantilismo. A influência do pensamento iluminista incentivou a Revolução Francesa, a Independência dos EUA e uma série de outros movimentos.

No Iluminismo valoriza-se o antropocentrismo e o racionalismo; na crítica ao absolutismo defende-se a monarquia parlamentar; exceto Rousseau que era defensor da República como forma de governo.

O ideal iluminista e seus reflexos

Os ideais iluministas abriram a cabeça da Europa e dos europeus que haviam migrado para o ‘Novo Mundo’ da America do Norte. As origens tanto da Revolução Francesa quanto da Independência dos Estados Unidos em relação à Inglaterra de então têm claras origens iluministas. A Constituição Norte-americana, por exemplo, é claramente iluminista.

O bordão ‘Igualdade, Fraternidade, e Liberdade’ nasce a partir do Iluminismo. Os valores ocidentais contemporâneos expressos na Declaração dos Direitos do Homem, no voto secreto, nas eleições diretas, no direito das mulheres, e na Democracia Ocidental são legados do Iluminismo e de pensadores da mesma época na Inglaterra.

Estado e Religião em trilhas separadas

A maioria dos filósofos iluministas eram anticlericais, pois em suas teses a Igreja e o clero deveriam sofrer grandes reformas; nenhum deles era ateu, no máximo Deísta, ou seja, cultuava Deus, mas sem uma religião; os pensadores iluministas que criticavam o mercantilismo e suas práticas ficaram conhecidos como filósofos econômicos.

No ataque às práticas mercantilistas, eram defendidos o livre comércio contra o monopólio, o fim das barreiras alfandegárias e do protecionismo e que o Estado não interferisse mais na economia, baseando-se no pensamento do chamado “laissez-faire, laissez-passer”, ou seja, deixa fazer, deixa passar; enfim a economia tem suas próprias leis e regras e andaria pelas suas pernas. Quesnay era o pensador francês desse discurso, sendo depois considerado um fisiocrata, junto com Gounay; por dizer que a riqueza de uma nação está em sua agricultura.

Outros pensadores da época são Adam Smith, com sua obra “A Riqueza das Nações”, que defendia a liberdade comercial e a concorrência sadia; para ele, o trabalho, aliado ao capital, é fator determinante de riqueza. Temos ainda Malthus, David Ricardo e Stuart Mill.Os Iluministas

 Os filósofos iluministas

A difusão dos ideais iluministas foi possível graças ao apoio da imprensa que sempre era perseguida pelos governos, pois muitas obras eram proibidas de serem impressas; dentro desse contexto temos a criação da “Enciclopédia”, de D. Diderot e J.L. d’Lambert, que reunia todo o conhecimento até então sabido em uma grande obra; por inúmeras vezes os organizadores foram presos e muitos de seus verbetes foram feitos nas prisões.

Voltaire e o Despotismo Esclarecido

Considerado o maior dos pensadores do movimento iluminista, Voltaire era o mais rigoroso crítico do clero e da religião. Deixou várias obras, entre elas “Cândido”, “Tratado de Metafísica”, “Dicionário Filosófico”, “Cartas Inglesas”, etc. . Suas correspondências terminavam com o seguinte dizer: “esmagai a infâmia”

Quando perguntaram sobre sua amizade com a rainha da Rússia, Catarina, a Grande; dizendo que era injusto ser amigo de uma déspota, o pensador iluminista François Marie Arouet, conhecido como Voltaire, partiu em defesa da amiga, justificando: “ela é uma déspota, porém esclarecida”.  Voltaire reiterou que era amigo também de Frederico II, da Prússia. Nascia ali o binômio ‘Déspota esclarecido’.

Nascida na Alemanha e esposa de Pedro III, Catarina teve que governar com pulso forte, pois era estrangeira e mulher, além de ter ideias avançadas para a cabeça dos russos de sua época; por tudo isso sofreu uma série de problemas para governar, mas conseguiu cortar, ao que parece, todos eles, expandindo os domínios russos para a Crimeia, criando escolas, abolindo a pena de morte, a tortura para os presos e ainda protegendo as artes e letras. No final de reinado é que passou a tomar atitudes mais drásticas, cortando a amizade com Voltaire e perseguindo povos dominados, entre outras coisas mais.

Frederico II, da Prússia, conseguiu levantar o nome de seu país na Europa, tornando-o respeitado; desenvolveu a agricultura, o comércio, a indústria e expandiu seu território. Era metido a pintor e teve mais sorte na música, escreveu “O Anti-Maquiavel”, onde refutava vários princípios do afamado autor italiano.

Em Portugal temos a figura de Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal; que era secretário do rei D. José I. Entre suas realizações é importante citar a reconstrução de Lisboa após o terremoto de 1775; expulsou os jesuítas, acusando-os de tentar organizar uma república no Prata, A República Guaranítica.

iluministas - free wikipedia
Os iluministas

Antes de testar os seus conhecimentos em Iluminismo, veja a aula do prof. Felipe e fique mais preparado para o Enem!

Exercícios sobre o Iluminismo

Questão 1

As posições simples do Iluminismo eram:

a) o antiabsolutismo e o anticlericalismo.

b) a defesa do fim da burguesia e do campesinato.
c) a instalação de uma forma de comunismo primitivo e de indústrias familiares.
d) a defesa da democracia direta e do voto universal.

e) o controle do mercado pelo Estado e a defesa dos ideais liberais.

Questão 2

Sobre as lutas sociais decorrentes da Revolução Industrial é certo afirmar que:

a) Eram quase sempre vencidas pelos proletários.

b) Havia sempre um apoio das esquerdas e de ideias socialistas.
c) O sistema não era rígido com os grevistas.
d) Os “cartistas” defendiam uma ampla reforma agrária.

e) A vida era boa para a maioria dos operários.

Questão 3

O pensamento iluminista influenciou muito a Revolução Francesa. Em que fase da Revolução Francesa as ideias iluministas foram mais pregadas?

a) Durante a Assembleia Nacional, com os girondinos no poder.

b) Durante todas as fases, quando somente a burguesia dominava, defendendo seus ideais liberalistas.
c) Durante a fase da Convenção, quando foram colocados em prática os ideais de igualdade e liberdade, mesmo que depois podados pelo “Terror”.
d) Durante a fase do Diretório, quando os jacobinos impuseram pela força suas ideias liberais, favorecendo as elites econômicas.

e) Na fase da Revolta dos Notáveis, quando a nobreza esclarecida prejudicou os interesses das classes menos abastadas.

Questão 4

O processo de independência do Brasil foi pacífico, não havendo lutas contra a sua metrópole, porém, já no processo de independência de seus irmãos latino-americanos:

a) Ocorrem lutas contra todas as nações europeias desejosas de controlar os movimentos liberais pelo mundo todo.

b) Foi liderado pela burguesia nacional, ao contrário do caso brasileiro, quando as elites rurais lideraram o processo.
c) Que lutaram contra a sua metrópole, quebrando a unidade colonial, onde boa parte da população participou do processo de independência.
d) Que eram ligados militarmente aos EUA, já que os brasileiros receberam apoio militar da Inglaterra.

e) Os processos foram diferenciados somente no que tange à participação popular, ocorrida no Brasil, ao contrário das outras nações sul-americanas que tiveram na elite real os seus libertadores.

Questão 5

(PUC-SP 95) Relativamente à expansão napoleônica (1805-1815), pode-se afirmar que acarretou mudança no quadro político europeu, tais como:

a) difusão do ideal revolucionário liberal, ampliação temporária do raio de influência francesa e fortalecimento do ideário nacionalista nos países dominados.

b) isolamento diplomático da nação inglesa, radicação definitiva do republicanismo no continente e estabelecimento do equilíbrio geopolítico entre os países atingidos.

c) desestabilização das monarquias absolutistas, estímulo para o desenvolvimento industrial nas colônias espanholas e implantação do belicismo entre as nações.

d) desenvolvimento do cosmopolitismo entre os povos do império francês, incrementação da economia nos países ibéricos e contenção das lutas sociais.

e) difusão do militarismo como forma de controle político, abertura definitiva do mercado mundial para os franceses, estímulo decisivo para as lutas anticolonialistas.

Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!