O Realismo no Brasil: resumo com simulado de Literatura

O Realismo no Brasil nasce com Machado de Assis, com o clássico Memórias Póstumas de Brás Cubas. Os personagens mostram em seus costumes a crítica ácida à sociedade da época

Realismo é a denominação genérica da reação aos ideais românticos que caracterizou a segunda metade do século XIX. De fato, as profundas transformações vividas pela sociedade europeia exigiam uma nova postura diante da realidade; não havia mais espaço para as exageradas idealizações românticas. Vem daí o Realismo no Brasil.

A obra que marca o início do Realismo no Brasil é Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (1839-1908). Foi publicada em março de 1880, como um folhetim, em capítulos na Revista Brasileira. No ano seguinte saiu na forma de livro. A data formal do realismo na literatura brasileira é o ano de 1881, portanto.

Características do Realismo no Brasil

Uma característica básica do realismo em Machado de Assis é a visão antiburguês, onde o texto machadiano revela a verdadeira face da sociedade ao final do Império.

A crítica era feita a partir do próprio comportamento dos personagens, de maneira magistral, revelando as falsas bases do relacionamento social da época. Ou, com o narrador fazendo as costuras para o leitor, como no romance das Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Machado iniciou a carreira literária ainda dentro do Romantismo. Mas, aos poucos, foi ganhando qualidade nos textos e descobrindo na tessitura dos personagens como aplicar uma camada de ironia e crítica social.

Machado de Assis produziu três obras-primas já dentro do Realismo no Brasil: além de Memórias Póstumas de Brás Cubas, fazem parte da trilogia o clássico Dom Casmurro e Quincas Borba.

Veja um resumo simples e rápido sobre a obra completa e a  A vida e a obra de Machado de Assis. Cai também no Enem! O autor retratou com ironia e sarcasmo como eram os costumes (e a corrupção) nos tempos do Império no Brasil.

Obras clássicas do Realismo no Brasil

Acompanhe no vídeo com a professora Camila Zuchetto as obras classicas do Realismo no Brasil. Ela é do Canal de Aulas do Curso Enem Gratuito.

Depois de ter visto aí com a professora Camila o pai do Realismo no Brasil, veja agora as Artes Plásticas.

O Realismo no Brasil: as Artes Plásticas

No  continente Europeu o movimento realista teve forte impacto na pintura. As artes plásticas passaram a mostrar o cotidiano em destaque, sem ilusionismos sobre as cenas que estavam representadas nas imagens.

Entre os ícones daquele movimento estava o pintor francês Gustave Coubert, que chocou a sociedade com as temáticas sociais. Uma das obras mais representativas de Coubert é o quadro Os quebradores de pedras.

A paisagem rural deixa de ter aspecto bucólico e serve apenas de moldura para mostrar a realidade social. Aí um exemplo clássico do Realismo no Brasil aplicado às artes plásticas.O Realismo no Brasil: reflexos nas Artes Plásticas Nele não se encontram traços de conferir poesia ao duro trabalho de adultos e jovens para cortar pedras com cinzel e marretas.  É a dura realidade o que se vê na pintura realista de Coubert, feita em 1849.

No Brasil do século XX as obras de artes plásticas mais representativas do realismo estavam ‘no registro de paisagens já com forte interferência do homem, como se observa neste quadro de Benedito Calixto, mostrando como um aqueduto transformou completamente a paisagem. O Realismo no Brasil aparece na pintura de Benedito Calixto

 

Mas, o trabalho “realista” que deu projeção a Benedito Calixto foi a obra Inundação na Várzea do Carmo, em obras que praticamente “retratavam” a paisagem real ali representada: Resultado de imagem para Inundação_da_Várzea_do_Carmo

Um século depois, nas décadas de 1980 e 1990, no estado da Bahia, o artista australiano Ron Mueck , radicado no Brasil, desenvolve uma estética própria para produzir esculturas com características hiper realistas, conquistando rapidamente o reconhecimento mundial.

A imagem a seguir mostra o trabalho de Mueck:Realismo

Obra de Ron Mueck, artista australiano radicado no Brasil.

Naturalismo é a corrente literária decorrente do Realismo no Brasil.

Segundo Afrânio Coutinho “é o Realismo fortalecido por uma teoria peculiar, de cunho científico, uma visão materialista do homem, da vida e da sociedade.

É a teoria de que a arte conforma-se com a natureza, utilizando-se dos métodos científicos de observação e experimentação no tratamento dos fatos e das personagens”. A obra que marca o início do Naturalismo no Brasil é O mulato, de Aluízio de Azevedo.

Contexto histórico do Realismo no Brasil e na Europa

Na Europa, que estava vivendo a segunda fase da Revolução Industrial, há uma mudança radical na cultura: o cientificismo, ou seja, a análise científica, para ser o ponto de partida para o desenvolvimento e o progresso.

Há o desenvolvimento de importantes teorias para o mundo moderno, entre elas o Positivismo de Augusto Comte, a Evolução das Espécies, de Charles Darwin, o Socialismo, de Karl Marx e o Determinismo de Hypolito Taine.

No Brasil, as mudanças sociais e políticas também serão avassaladoras. A Abolição da Escravatura (1888) marca o fim de séculos de opressão. A Proclamação da República (1889) concede ao povo a soberania por meio de representantes eleitos, marcando o fim da Monarquia.

Veja aqui uma aula completa sobre A República Velha no Brasil. É conteúdo de História para o Enem, e marca no cenário político a transição da Monarquia para o começo da República, ambiente em que emerge o Realismo.

Características do Realismo no Brasil:

  • Objetivismo: aparece como negação do subjetivismo romântico e nos mostra o homem voltado para aquilo que está diante e fora dele.
  • A lei da causalidade: pouco importa que os fatos sejam físicos ou morais, eles sempre têm as suas causas. Existem causas para a ambição, a coragem, a veracidade; o vício e a virtude são produtos químicos, como o açúcar.
  • Interpretação da vida através da análise do concreto: é a ciência norteando o conhecimento; só conhecemos aquilo que observamos e experimentamos.

 

  • Linguagem próxima da realidade: fácil, respeitando o ambiente em que está inserida a personagem.
  • Retratação do presente: importando o momento e a verdade em torno daquele momento.
  • Personagens semelhantes ao homem comum: insere-se na literatura a importância da análise psicológica das personagens, refletindo melhor a verdade.
  • Detalhismo real: preocupação em “fotografar” a realidade.

Aula Gratuita sobre o Realismo no Brasil

Veja com o professor Anderson Rolo, do canal Curso Enem Gratuito, um resumo online super bacana do Realismo no Brasil.

Continua neste post com a revisão para entender também as características do Naturalismo. Assim você fica em dia para mandar bem nos Exames.

Veja os 10 Temas que mais caem no Enem

 

Veja a lista na imagem abaixo os 10 Temas que Mais Caem no Enem, e acesse aqui o Plano de Estudo Enem Gratuito com aulas de revisão sobre todos os dez temas mais frequentes. Confira:O que mais cai no Enem

 

Características do Naturalismo

  • Todas do Realismo
  • Teorias cientificistas norteiam a criação literária: o romance experimental, diferente, variado e original, que não respeita tempo, espaço ou qualquer esquema.
  • Denúncia social: a procura da literatura como veículo de conscientização.
  • Instinto: o homem reduzido a aspectos animais, os problemas físicos, as doenças, as comparações.

Simulado Enem de Literatura – É hora de você testar o seu nível para o Enem e os Vestibulares. Veja uma prova com 10 questões objetivas. O Gabarito é Online, e você ainda tem o Aulão Gratuito com reforço para os Temas que não acertar. Acesse aqui o Simulado Enem de Literatura:  

Autores e Obras do Realismo no Brasil

  • Machado de Assis: Joaquim Maria Machado de Assis nasceu e morreu no Rio de Janeiro. De origem humilde, frequentou apenas a escola primária. Do cargo de tipógrafo passou a revisor, redator e colaborador de jornais e revistas.
  • lit-machado-de-assis
    Revisão gratuita sobre Machado de Assis. Veja!

  • Sua produção intelectual, iniciada com a crônica e o teatro, foi-se intensificando até atingir o ponto culminante com os romances da segunda fase (com destaque para Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro) que o consagraram como um dos maiores escritores da língua portuguesa. A morte de Carolina, sua esposa, em 1904, assinala o início de um período de profunda melancolia na vida de Machado de Assis.
  • Segundo a crítica, seu último romance – Memorial de Aires – tem caráter autobiográfico. Dentre as características machadianas destacam-se o pessimismo e o humor. Leia a seguir, fragmentos que, respectivamente, tratam disso.
  • Tédio por dentro e por fora. Nada que espraiasse a vista e descansasse a alma. (Quincas Borba)
  • Não tive filhos. Não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria. (Memórias Póstumas de Brás Cubas)

Dica 2 – Revise sobre as principais características do Arcadismo nesta aula de Literatura Enem. Estude conosco para o Exame Nacional do Ensino Médio! – https://blogdoenem.com.br/arcadismo-literatura-enem/

  • Aluísio Azevedo: nasceu no Maranhão (1857) e morreu na Argentina (1913). Foi caricaturista de jornais de jornais políticos e humorísticos. Seu romance O mulato (1881) é considerado como o primeiro romance naturalista brasileiro. Transitando entre o Romantismo e o Naturalismo, escreveu diversas obras, de qualidade desigual, até 1895, quando trocou a carreira literária pela diplomacia. Sua obra mais famosa é O cortiço (1890).

 

  • Raul Pompéia: nasceu e morreu no Rio de Janeiro (1863-1895). Foi professor e jornalista político, participando da campanha abolicionista e engajando-se na causa republicana. Possui algumas obras, porém ficou famoso devido a O Ateneu. Neste livro, a personagem Sérgio, já adulto, narra seu tempo de aluno interno no Ateneu. O romance se inicia com a significativa frase do pai:
  • Vai encontrar o mundo, disse-me meu pai, à porta do Ateneu. Coragem para a luta.

Agora responda as 10 questões sobre o Realismo na Literatura com o nosso Simulado Enem. Se errar alguma pergunta, têm dicas para estudar. Prepare-se para o Enem e demais vestibulares!

Realismo na Literatura