Dominar a Gramática ajuda a produzir boa Redação Enem ou Encceja

Muita gente perde pontos na Redação porque "escreve como se fala". Acontece que muitos vícios de linguagem e erros de gramática que nem sempre chamam a atenção na linguagem falada ficam registrados como erros graves na hora de escrever de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa. Veja aula gratuita com os erros mais comuns e fuja deles para não perder pontos.

Escrever “certo” faz parte de uma boa nota no Enem. Mas, isso não é nada complicado. Entenda a diferença entre a gramática da língua e a gramática normativa. Pare de se torturar achando que desconhece a gramática, e melhore seu desempenho na Redação dos vestibulares, do Encceja ou do Enem.

Se você é falante nativo de língua portuguesa, certamente conhece a gramática da sua língua. O professor Wilson Rochenbach Nunes produziu uma aula sobre isso, e selecionou também um vídeo do professor Willian Cereja, da Editora Saraiva, sobre o ensino da gramática. E assim você vai aprendendo como fazer bem a sua Redação.

 Tenho horror a gramática!  – Não sei quem inventou isso! Essas são frases comuns de quem tem que estudar gramática na escola e, até mesmo, de quem já saiu da escola. Os 10 erros mais comuns na Redação Só que ninguém inventou a gramática, ela faz parte da língua. Se a língua não fosse gramatical seria impossível se comunicar. O funcionamento da língua tem uma lógica e essa lógica é a gramática.

Acontece que, para escrevermos um texto, precisamos organizar claramente as ideias e seguir algumas regras que fazem com que nosso texto seja fluido, fácil e agradável de ler. Você já deve ter tentado ler um texto truncado, no qual as informações parecem estar amontoadas e não organizadas.

Aquele em que se tenta dizer alguma coisa, mas que no final não se diz nada. Então, Esse texto deve apresentar alguns, ou muitos, problemas com a organização gramatical. E, quando você parar um pouco para ler aqui uma Redação Enem nota 1000, vai perceber que você mesmo poderia ter feito aquele texto.

Um texto de deve ser necessariamente gramatical. Portanto, a nossa comunicação por meio da fala é gramatical. Existe uma organização dos termos para que a outra pessoa entenda. Se a gramática “não fecha”, ocorre um estranhamento na comunicação.

Se alguém dissesse: “Seu Maria flores de recebeu namorado.” com certeza, não seria possível entender, já que temos uma frase agramatical.

  • Esse mesmo conjunto de palavras poderia aparecer formando frases de diversas formas, sendo todas elas gramaticais:
  • 1 – “Maria recebeu flores de seu namorado.”
  • 2 – “Flores de seu namorado Maria recebeu.”
  • 3 – Recebeu Maria de seu namorado flores.”

O que acontece é que na redação devemos seguir a norma culta a “tia Norminha”, como o próprio nome diz: norma. A gramática normativa determina certas construções, determina como devemos falar ou escrever.

A colocação de um pronome: “Observa-se” e não “Se observa”, por exemplo. Segundo a norma culta, não se pode começar um período com pronome oblíquo. É claro que as duas formas são gramaticais, mas a segunda não segue a língua culta. Essa é a diferença.

Dica do Blog – Veja aqui os 100 erros mais comuns no uso da língua portuguesa. Fique de olho para não perder pontos preciosos na Redação do Enem ou dos vestibulares: https://blogdoenem.com.br/redacao-gramatica-vicios-linguagem/

“Houveram alguns problemas.”  Nessa frase, existe um erro de concordância, pois a norma culta determina que o verbo haver quando significa “existir” ou “ocorrer” não tem sujeito, portanto não há concordância e o verbo fica no singular.

É claro que todos entendem, sem dúvida alguma, mas precisamos obedecer a “tia Norminha”: a frase “correta” é “Houve alguns problemas”.Acho que agora você entendeu o que é gramática e o que é gramática normativa. Na sua redação, Você deve obedecer à norma culta: cuidado com a regência, crase, concordâncias verbal e nominal, ortografia.

Você precisa se ligar para não cair nos erros mais comuns de concordância. Se errar, perde pontos na redação. Veja os erros mais comuns no Brasil, e confira a conjugação correta entre parênteses depois de cada frase:

  1. “Fazem” dez dias;  (Faz)
  2. “Haviam” muitos copos na mesa; (Havia)
  3. “Existe” muitas versões do mesmo fato; (Existem)
  4. “Vende-se” casas; (Vendem-se)
  5. Ela estava “meia” cansada; (meio)
  6. As bananas custam 5 “real”. (reais)

É, definitivamente, para mandar bem na Redação tem que estudar a gramática, “a tia Norminha”! Não tem outro jeito. Não brigue com ela, você deve se conformar e dedicar um tempinho todo dia.

Aula Gratuita sobre como elaborar a Redação do Enem

Confira com a professora Thare Teixeira a forma correta de escrever o texto dissertativo-argumentativo para você se garantir na hora da correção. Veja:

Confira 12 erros graves que derrubam os candidatos:

1 – Fuga ao tema

A proposta da Redação Enem tem um tema dado em um enunciado e três textos de apoio relacionados ao assunto. Supondo que o tema sugerido pelo exame seja “combate à crise hídrica”.

Porém, caso o candidato escreva um texto apresentando boas informações sobre a questão da escassez de água, apresentando dados geográficos e informações sobre o abastecimento, sem falar, no entanto, de ações efetivas de combate e prevenção do gasto excessivo de água.

Qual será a nota? – A nota será zero.bag58É preciso abordar todo o tema, mas evitando focar-se em um único aspecto do assunto.

A proposta do tema e os textos de apoio estão aí para colocá-lo no caminho certo. Considerar apenas um deles é um pecado muito grande. É preciso ler e considerar todos os textos antes de escrever a redação.

2 – Ambiguidade

Ela resulta de textos mal elaborados, surgindo quando uma mesma frase possui sentidos diferentes, até mesmo contrários, obscurecendo a interpretação do autor em relação ao tema e suas intenções a partir daquele texto.

Veja alguns exemplos de frases ambíguas:faq8

Errado: A mãe de Pedro entrou com seu carro na garagem. (De quem era o carro?)
Correto: A mãe de Pedro entrou na garagem com o carro dela.

Uso indevido de pronomes possessivos

Errado: A mãe pegou o filho correndo na rua. (Quem corria? A mãe ou o filho?)
Correto: A mãe pegou o filho que corria na rua.

Uso indevido de formas nominais

A orientação é que o candidato seja bastante específico naquilo que escreve e certifique-se de que as frases expressem exatamente aquilo o que está querendo dizer. Para isso, é essencial reler cada sentença posta no papel.

3 – Evite períodos muito longos

Frases longas podem ser um problema na hora de manter a coesão do texto. Uma frase comprida, geralmente com mais de 25 palavras, dá maior chance aos erros, pois o uso inadequado de conectivos pode prejudicar o entendimento do texto.

Além disso, as frases longas prejudicam a compreensão e abrem margem para problemas de concordância.network68O ideal é optar por frases curtas e médias. Perceba quando um período está ficando longo demais e identifique um ponto de corte. Suas ideias ficarão bem mais claras.

4 – Generalização e terceirização de problemas

Uma das cinco competências da Redação Enem exige que o candidato elabore uma proposta de intervenção do tema. Porém, é preciso evitar argumentos que coloquem terceiros na luta pela causa.

A ideia é que o alune pense a proposta de intervenção detalhadamente a partir de suas próprias ações.man250Além disso, a generalização é um problema que deve ser evitado, nada de falar “vamos todos agir”.

O candidato deve detalhar como algo pode ser feito, sugerindo, por exemplo, programas sociais nas escolas públicas. Evite palavras como “todos”, “nunca”, “jamais” e “sempre”, pois elas tendem a nos fazer cair em generalizações indevidas.

Veja exemplos de Redação para o Enem Nota 1000

Quer melhorar ainda mais as suas chances? Veja aqui uma seleção completa de textos de Redação Nota 1000.  redação enem nota 1000 teaser horizontalSão redações aprovadas com nota máxima no Enem. Confira 10 exemplos de Redação Enem Nota 1000.

5 – Primeira pessoa do singular

No texto dissertativo-argumentativo, é necessário escrever na terceira pessoa do singular.thumbup4“Eu penso”, “eu acho”, “na minha opinião” e “no meu ponto de vista” devem ser evitados, pois fogem da impessoalidade característica do gênero textual.

Aula Gratuita: Precisa ter título na Redação do Enem?

Veja com a professora Dani, de Florianópolis, a dicas para você não se perder em mil dúvidas na hora de colocar (ou não) um título na sua Redação. Confira as dicas para o texto dissertativo-argumentativo:

Genial a professora Dani. Veja agora mais erros bem comuns na Redação:

6 – Gírias e expressões da oralidade

A primeira competência da Redação Enem avalia a capacidade dos candidatos de demonstrar seu domínio sobre a norma padrão da língua portuguesa. Desta maneira, o candidato deve evitar expressões típicas da língua falada, registros de oralidade de gírias como “né”, “daí”, “tipo assim”, “tá ligado”.

Além disso, cabe destacar que também é preciso evitar o uso de abreviações da internet, como “vc”, “cmg” “tb”, “q”, “pq”, “qdo”, “pra”. Use sempre as palavras por extenso.

7 – Erros ortográficos

Nem é preciso entrar muito neste tema. Todos sabemos que estes erros devem ser evitados a todo custo, pois ganham a antipatia do corretor na mesma hora. Mas como evitá-los?

Com muita leitura em um momento anterior ao exame, e com muita atenção dos autores para os recursos utilizados e para a forma e o tom com que escrevem.spellAlguns erros ortográficos mais comuns são:

  1. “concientização” no lugar de “conscientização”;
  2. “pretencioso” no lugar de “pretensioso”, e,
  3. “compreenssão” no lugar de “compreensão”.

 

Veja O Guia Oficial do MEC da Redação para o Enem.

O Ministério da Educação publicou um guia de Redação para o Enem com uma seleção de textos aprovados com nota máxima pela equipe de avaliadores contratada para corrigir as redações.  Veja:Guia da Redação do Enem O Guia apresenta ainda as dicas e orientações completas sobre como elaborar o texto dissertativo-argumentativo. Acesse o Guia da Redação Enem para mandar bem.

8 – Uso incorreto das palavras “mal” e “mau”

Mau é um adjetivo, ou seja, qualifica um substantivo, como ocorre em “menino mau”. Já mal pode assumir a função de substantivo ou advérbio, ou seja qualifica um verbo, como em “mal feito” ou rege um adjetivo, como em “um mal irreparável”.evil2Para facilitar, procure substituir as palavras por seus antônimos: “mau” está sempre em oposição a “bom” e “mal” está sempre em oposição a “bem”.

9 – Falta de progressão textual

As ideias do texto devem fluir da maneira mais compreensível e natural possível. Antes de iniciar a redação, elabore um roteiro com as suas ideias sobre o tema e a ordem em que serão trabalhadas.

O texto dissertativo divide-se em três grandes blocos:

  1. introdução;
  2. desenvolvimento; e,
  3. conclusão.

Defina previamente o que e como será abordado em cada um desses blocos. Planeje cada parágrafo com cuidado e apenas comece a escrever o texto quando já tiver bem claro na sua cabeça como o texto ficará no final.

No momento específico da redação do texto, para ajudar a dar fluência, faça uso de conectivos – conjunções que ligam as orações e ajudam a estabelecer ligação entre as orações. “Contudo”, “entretanto”, “porém”, “todavia”, “no entanto”, “embora”, “ainda”, “uma vez que”.

10 – Não use palavras “difíceis”

Na ânsia de demonstrar o domínio da norma culta, muitos candidatos podem empregar termos sofisticados e incomuns de maneira equivocada. Se você não tem certeza sobre o uso de uma palavra ou outra, seja pela grafia ou pela sua significação, evite-a. Não troque o certo pelo duvidoso.

11 – Uso errado da Crase

Equívocos com relação ao uso da crase são muito comuns. Lembre-se que a crase denota a junção da preposição “a” com o artigo feminino “a”.crasePortanto, a crase nunca será utilizada diante de nomes masculinos, verbos ou pronomes como “você”, “ele”, “ela”. Tire todas as suas dúvidas sobre crase com este artigo do Blog do Enem.

12 – Uso incorreto do pronome relativo “onde”

Os pronomes relativos substituem nomes de uma oração anterior e relação entre duas orações. Este pronome só deve ser utilizado como referência a lugares: “a briga aconteceu na escola onde o professor dava aulas”.map32 Em caso de dúvidas, a melhor opção é substituir a palavra por conjunções como “no qual”, “na qual” e “em que”.

Agora, para complementar a nossa discussão, assista a um vídeo de 2 minutos e 15 segundos de Willian Cereja que aborda a importância de ensinar gramática na escola.

Valeu! E até o próximo! 

Este post foi elaborado pelo professor Wilson Rochenbach Nunes para o Blog do Enem. Wilson é formado em Letras pela Unilassale Canoas – RS e Mestre em Linguística Aplicada pela PUCRS. Dá aulas de Português para concursos em cursos da Grande Florianópolis e Grande Porto Alegre desde 2002.

Wilson Redação