Conheça 5 competências da Redação do Enem

Você conhece as cinco competências usadas para avaliar os estudantes na prova de Redação Enem? Conheça mais sobre elas e fique preparado!

Para chegar preparado no Enem, você deve conhecer os critérios que serão utilizados para corrigir a sua redação. Por isso, fizemos uma aula específica sobre as cinco competências da Redação do Enem!

O que são as competências e habilidades?

As competências estão intimamente relacionadas às habilidades, uma vez que a competência de um indivíduo em resolver uma determinada problemática pressupõe que ele domine certas habilidades necessárias para a solução do problema.

Nessa perspectiva, o exame privilegia a avaliação da capacidade que os alunos concluintes do Ensino Médio têm de resolver problemas a partir de habilidades desenvolvidas no processo de escolarização. Complementa essa concepção de competências e habilidades o entendimento de que o conhecimento é construído pelos alunos por meio das experiências vivenciadas por eles quando necessitam realizar das mais simples às mais complexas ações.

A avaliação das competências da Redação do Enem

A prova de redação do Enem propõe-se a avaliar 5 competências escritoras do aluno. Para tanto, a matriz de competências da Redação foi adaptada para avaliar o desempenho do participante como produtor de um texto no qual ele demonstre capacidade de reflexão sobre o tema proposto.

Essa reflexão é feita a partir da leitura dos textos que compõem a proposta, conjugada à leitura da realidade. Há o compromisso de que os temas abordem questões de ordem política, social, cultural ou científica, desde que apresentados como uma situação-problema, para a qual o autor do texto deverá propor soluções, respeitando os direitos humanos.

1. Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.

Na competência I, espera-se que o participante escolha o registro adequado a uma situação formal de produção de texto escrito.

Na correção da Redação do Enem, serão considerados pelos avaliadores os fundamentos gramaticais do texto escrito, refletidos na utilização da norma culta em aspectos como: sintaxe de concordância, regência e colocação; pontuação; flexão; ortografia; e adequação de registro demonstrada, no desempenho linguístico, de acordo com a situação formal de produção exigida.

2. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

O eixo da competência 2 reside na compreensão do tema proposto pelo Enem. Dessa forma, ele irá avaliar se você compreendeu e soube argumentar sobre o tema em seu texto dissertativo-argumentativo. Por meio desse tipo de texto, analisam-se, interpretam-se e relacionam-se dados, informações e conceitos amplos em defesa de um ponto de vista.

3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Na competência 3, durante a correção da Redação do Enem procura-se avaliar como o participante, em uma situação formal de interlocução, seleciona, organiza, relaciona e interpreta os dados, informações e conceitos necessários para defender sua perspectiva sobre o tema proposto na Redação Enem.

4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Na competência 4 avalia-se a utilização de recursos coesivos da modalidade escrita, para uma adequada articulação dos argumentos, fatos e opiniões. Esses elementos de argumentação serão avaliados para a defesa da tese desenvolvida. Serão considerados os mecanismos linguísticos responsáveis pela construção da argumentação na superfície textual.

A correção da Redação Enem observa aspectos tais como: coesão referencial; coesão lexical (sinônimos, hiperônimos, repetição, reiteração); e coesão gramatical (uso de conectivos, tempos verbais, pontuação, sequência temporal, relações anafóricas, conectores intervocabulares, intersentenciais, interparágrafos).

5. Elaborar proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Na competência 5, verifica-se como o participante indicará na Redação do Enem as possíveis variáveis para solucionar a problemática desenvolvida, quais propostas de intervenção apresentou, qual a relação destas com o projeto desenvolvido sobre o tema proposto e a qualidade destas propostas, mais genéricas ou específicas, tendo por base a solidariedade humana e o respeito à diversidade de pontos de vista, eixos de uma sociedade democrática.

A prof. Tharen explica todas as 5 competências da Redação do Enem nesta videoaula:

Dica do Blog: Confira 10 textos de Redação Enem nota 1000. Veja como escrever para alcançar a nota máxima na redação. Leia e observe que não é tão difícil assim.

Como é calculada a nota da Redação

Os critérios de avaliação baseiam-se nas cinco competências expressas do ENEM traduzidas para a situação específica de produção de texto. Cada competência desdobra-se em níveis correspondentes aos conceitos – Insuficiente, Regular, Bom e Excelente, quantificados da seguinte maneira:

  • nível 1, nota 250;
  • nível 2, nota 500;
  • nível 3, nota 750 e
  • nível 4, nota 1000.

Cada redação é corrigida por dois corretores, de forma independente, sem que um conheça a pontuação dada pelo outro. Caso haja discrepância de duzentos pontos no total dos pontos atribuídos às Competências (para cada competência são atribuídos pontos que variam de 250 a 1000) ou caso a redação seja simultaneamente “pontuada” e “desconsiderada” pelos dois Corretores, o texto é submetido, então, a um terceiro Corretor.

Nesse caso, a pontuação do terceiro Corretor é soberana em relação às atribuídas pelos outros dois. Quando a discrepância das notas entre os dois Corretores é inferior a 200 (duzentos) pontos, é atribuída à redação a média das duas notas. Se a terceira nota também for divergente em mais de 200 pontos, uma banca examinadora composta por três membros fará a avaliação final do texto.

Além disso, se houver uma discrepância de 80 pontos na correção de qualquer uma das 5 competências aferidas na redação, o texto também passará para a avaliação de um terceiro corretor.

Níveis de conhecimentos associados às Competências Expressas nas Matrizes de Referência para Redação do Enem

Para cada uma das competências expressas na matriz de referência para redação do Enem, existem níveis de conhecimento associados a essas competências, conforme descritos abaixo:

  • Nível 0: Demonstra desconhecimento da norma padrão, de escolha de registro e de convenções da escrita. Não defende ponto de vista e apresenta informações, fatos, opiniões e argumentos incoerentes. Apresenta informações desconexas, que não se configuram como texto. Não elabora proposta de intervenção.
  • Nível I: Demonstra domínio insuficiente da norma padrão, apresentando graves e frequentes desvios gramaticais, de escolha de registro e de convenções da escrita. Desenvolve de maneira tangencial o tema ou apresenta inadequação ao tipo textual dissertativo-argumentativo. Não defende ponto de vista e apresenta informações, fatos, opiniões e argumentos pouco relacionados ao tema. Não articula as partes do texto ou as articula de forma precária e/ou inadequada. Elabora proposta de intervenção tangencial ao tema ou a deixa subentendida no texto.
  • Nível II: Demonstra domínio mediano da norma padrão, apresentando muitos desvios gramaticais, de escolha de registro e de convenções da escrita. Desenvolve de forma mediana o tema a partir de argumentos do senso comum, cópias dos textos motivadores ou apresenta domínio precário do tipo textual dissertativo-argumentativo. Apresenta informações, fatos e opiniões, ainda que pertinentes ao tema proposto, com pouca articulação e/ou com contradições, ou limita-se a reproduzir os argumentos constantes na proposta de redação em defesa de seu ponto de vista. Articula as partes do texto, porém com muitas inadequações na utilização dos recursos coesivos. Elabora proposta de intervenção de forma precária ou relacionada ao tema mas não articulada com a discussão desenvolvida no texto.
  • Nível III: Demonstra domínio adequado da norma padrão, apresentando alguns desvios gramaticais e de convenções da escrita. Desenvolve de forma adequada o tema, a partir de argumentação previsível e apresenta domínio adequado do tipo textual dissertativo-argumentativo. Apresenta informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto, porém pouco organizados e relacionados de forma pouco consistente em defesa de seu ponto de vista. Articula as partes do texto, porém com algumas inadequações na utilização dos recursos coesivos. Elabora proposta de intervenção relacionada ao tema, mas pouco articulada à discussão desenvolvida no texto.
  • Nível IV: Demonstra bom domínio da norma padrão, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita. Desenvolve bem o tema a partir de argumentação consistente e apresenta bom domínio do tipo textual dissertativo-argumentativo. Seleciona, organiza e relaciona informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto de forma consistente, com indícios de autoria, em defesa de seu ponto de vista. Articula as partes do texto, com poucas inadequações na utilização de recursos coesivos. Elabora proposta de intervenção relacionada ao tema e bem articulada à discussão desenvolvida no texto.
  • Nível V: Demonstra excelente domínio da norma padrão, não apresentando ou apresentando escassos desvios gramaticais e de convenções da escrita. Desenvolve muito bem o tema com argumentação consistente, além de apresentar excelente domínio do tipo textual dissertativo-argumentativo, a partir de um repertório sociocultural produtivo. Seleciona, organiza e relaciona informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto de forma consistente, configurando autoria, em defesa de seu ponto de vista. Articula as partes do texto, sem inadequações na utilização dos recursos coesivos. Elabora proposta de intervenção inovadora relacionada ao tema e bem articulada à discussão desenvolvida em seu texto.