Redação Enem: as dicas de quem fez 960 pontos

Siga os passos de quem tem propriedade para falar: Arianne Correa se garantiu no Enem ao conseguir 960 pontos na Redação. Com essa nota, ela conseguiu entrar para Odontologia na UFMG! Veja as dicas da autora para treinar a redação e estudar para o Enem!

Que não é fácil para ninguém conseguir uma boa nota na Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), todo mundo já sabe. Afinal, um dez ou a nota de corte que você precisa para conquistar uma vaga no curso e na universidade dos seus sonhos, não cai do céu! Precisa estudar mesmo e exercitar muito!

Foi isso o que fez a vitoriosa Arianne Correa que, aos 22 anos, teve seu sonho realizado: ingressar no curso de Odontologia, da Universidade Federal de Minas Gerais. Ela fez 960 pontos na Redação Enem e conta seus segredos para se dar tão bem assim:

“Leia tudo, até uma simples frase de panfleto. Essa frase eu ouvi várias vezes da professora de redação Vera Lopes. E tenham um olhar crítico para o mundo e sempre levem esse olhar para a prova.”

Tentem fazer pelo menos uma redação por semana, o segredo é treinar para chegar à prova preparado. Sempre tenha em mente a sua meta.

Quando eu estava cansada, sem querer estudar eu pensava na minha vitória que seria passar em Odontologia na UFMG, aí eu me animava de novo.”

Ela estudou a vida inteira em escola pública, mora em Santa Luzia, região Metropolitana de Belo Horizonte (MG), conclui o Ensino Médio em 2011 e fez o Enem três vezes. A estudante conta que, na primeira vez não foi muito bem na prova, na segunda foi bem melhor, mas ainda não o suficiente para ingressar na UFMG, que era sua meta.

A vitória na Redação Enem e no resultado geral veio na terceira tentativa, depois de muito estudo e de bastante prática. Arianne se auto avalia com relação à sua nota na redação Enem: “Fiquei realizada com minha nota. Com esses 960 pontos na redação percebi que todo esforço no cursinho e em casa valeu a pena”.

Perguntada sobre como estruturou o seu texto e o que a inspirou para escrever, ela respondeu o seguinte:

“procurei deixar meu texto o mais organizado possível com argumentos verdadeiros e consistentes que estavam dentro do tema e que eram um exemplo na sociedade, tudo isso me preocupando com a norma culta.

O que me incentivou a escrever foi a minha preocupação com as mulheres que ainda sofrem violência no Brasil, então eu já estava preparada”.

Além disso, conta que sempre assistia televisão de uma forma crítica e fazia uma redação sobre os temas que poderiam ser mais polêmicos e, certamente, um assunto para cair na prova. Por fim, Arianne revela: “eu fazia umas quatro redações por semana, em média”. Muito mais do que sua própria professora havia instruído. E aí, você também está se garantindo, assim como a Arianne?E para quem acha que foi fácil a Arianne garantir todo esse sucesso na redação, fique sabendo das últimas dicas deixadas pela caloura do curso de Odonto da UFMG. Ela relata que o seu hábito de leitura fez toda a diferença na hora de conseguir construir um texto.

Veja agora a Redação da Arianne.

Pode estar aqui a inspiração para você praticar e criar um texto tão bom quanto o dela na sua redação Enem de 2015. Boa sorte e, acima de tudo, bons estudos!

“Não serei livre enquanto não houver mulheres que não o são, ainda que minhas algemas sejam bastante diferentes das delas”, Audré Lorde escreveu essa frase para demonstrar que é a favor da igualdade de gênero e que se preocupa com a violência contra a mulher desde o século XIX, as mulheres conquistaram muitos direitos, entre eles o direito de votar e a entrada no mercado de trabalho.

No entanto, ainda hoje, infelizmente, presenciamos o machismo na sociedade e, com ele, a violência contra a mulher. Com base nisso, a Lei Maria da Penha foi implantada a fim de prevenir a persistência da violência contra a mulher e punir os agressores. Contudo, enfrentamos vários problemas: pouca efetivação dessa lei, falta de denúncias por parte das mulheres agredidas e a influência da mídia expondo na televisão a desigualdade de gênero.

Segundo o Conselho Nacional de Justiça, a implementação da Lei foi significativa, porém não satisfatória, pois não contem a violência como era esperado. Nos últimos anos 5 anos, foram registrados 66.000 processos que envolvem a Lei, ou seja, 13.000 por ano. Esse é um dado alarmante que mostra a persistência dos agressores mesmo depois dessa Lei.

Além disso, de acordo com o Tribunal Regional de Justiça de Belo Horizonte, a cada 6 mulheres agredidas, apenas 2 denunciam, pois sabem que o agressor somente é preso no dia do flagrante e depois espera o processo em liberdade. É importante salientar que muitas crianças presenciam tal violência contra a própria mãe.

Ademais, a cultura da sociedade é muito influenciada por padrões midiático, que sempre ditaram comportamentos do indivíduo. Novelas e filmes, por exemplo, que contêm cenas de agressão contra a mulher e de desigualdade de gênero “invadem” a vida de muitas pessoas, as quais seguem esse exemplo.

Isso mostra o retrocesso de parte da sociedade, pois depois de muitas conquistas feitas pelo Brasil e pelas mulheres, muitas pessoas ainda são influenciadas e deixam seus filhos serem influenciados de forma negativa pela mídia. “Criança que cresce vendo o errado aprende o errado”. (Leonardo Sakamoto, jornalista).

Dado isso, é de suma importância que o governo federal agilize os julgamentos de cada processo e aumente a fiscalização da efetivação da Lei Maria da Penha, com mais policiais nas ruas.

Além disso, atores e jornalistas de segmentos sociais contra a violência, através da mídia, realizem debates de conscientização da sociedade acerca da importância de denunciarem a violência. E as escolas através, através de disciplinas como ética e cidadania, promovam o pensamento crítico dos jovens ensinando o respeito e a igualdade de gênero a fim de erradicar a violência.

22

Enem não é só redação!

É claro que, além de se dar bem na redação, você também precisa ter uma boa pontuação nas demais disciplinas que caem no Enem. E não é que a Arianne também pode te ajudar com isso?! A estudante diz que fez cursinho para se preparar para as provas:

“Eu fazia resumos de todas as matérias depois das aulas e frequentava as monitorias do cursinho todos os dias para esclarecer dúvidas. Além disso, o que mais me ajudou foi o meu olhar crítico para a sociedade. Procurava sempre ir ao teatro, cinema, para ter conhecimento de mundo e levar isso para a redação.”

Foi assim que ela venceu no Enem 2015. E você?

Correção de redações

Na sua preparação para o Enem, a nossa dica é submeter suas redações à correção por um professor que conheça o padrão exigido pelo MEC. Afinal, às vezes nós cometemos erros graves como a fuga do tema e nem percebemos na hora de escrever.

Com os seus textos corrigidos, você terá uma visão realista da qualidade da sua escrita e saberá o que precisa melhorar para até a prova! Sabendo da importância da redação para quem vai prestar o Enem este ano, o cursinho Descomplica incluiu a correção de redações todos os pacotes!

Clique aqui para conferir todos os cursos do Descomplica que incluem a correção de redações!

Martha Ramos

Post escrito por Martha Ramos. Jornalista formada na Universidade Estácio de Sá em Santa Catarina. Fez Pós-Graduação em Marketing e trabalha com produção de conteúdos para jornais, revistas, empresas e blogs. Face: https://www.facebook.com/martha.ramos.5203