A Filosofia Contemporânea e a crise da razão – Resumo Enem & vestibular

Existe evolução das sociedades humanas? Os avanços da ciência e da industrialização tornaram os serem humanos mais felizes? Essas são apenas algumas perguntas desta época. Vamos compreender melhor esse conteúdo para gabaritar no Enem?

A filosofia contemporânea tem seu inicio no século XIX e se estende até os dias atuais. Veja os acontecimentos históricos desde o século XVIII que acabaram influenciando não só no contexto social, mas também no campo filosófico.

Um acontecimento histórico que marca essa passagem da Idade Moderna para a Idade Contemporânea é a Revolução Francesa (1789 – 1799). Ela aconteceu na esteira do pensamento Iluminista, que produziu no seio da Revolução Francesa a trilogia dos ideais de Liberdade, Igualdade, e Fraternidade.

Tudo isto culmina num entusiasmo, num progresso da humanidade e a defesa da ciência como a principal condutora desse caminho, ou seja, passando a acreditar totalmente no saber cientifico e na tecnologia para controlar a Natureza, a sociedade e os indivíduos.filosofia contemporâneaAo mesmo tempo, com a revolução industrial que ocorrera inicialmente na Inglaterra, e com rápida expansão na Europa, levando progresso técnico científico e a consolidação do capitalismo, trouxeram consigo novas formas de organização da sociedade no campo social e no mundo do trabalho.

Porém, a Revolução Industrial trouxe também na organização das fábricas uma condição degradante do trabalho, inclusive para mulheres e crianças. Começou-se a questionar, portanto, até que ponto os avanços da ciência e da industrialização tornaram os serem humanos mais felizes.

Hora de parar para refletir:

Você viu que há um contexto histórico que envolve o Iluminismo, a Revolução Industrial, e a Revolução Francesa. Então, a dica do Blog do Enem é você ver agora três resumos simples e rápidos sobre cada um destes momentos da história.

Assim, com estes resumos em vídeos simples e rápidos, você consegue continuar nesta aula compreendendo tudo. Bora lá começando pelo Iluminismo:

Excelente este resumo do professor Alan, do Curso Enem Gratuito.

Agora, veja o resumo sobre a Revolução Industrial:

Entendeu como a Revolução Industrial mudou tudo na história moderna?

Agora, veja a Revolução Francesa para você completar a trilogia de referências básicas para continuar com esta aula sobre as mudanças no pensamento que estão na Filosofia Contemporânea:

Gostou do resumo sobre a Revolução Francesa? Bora, então, voltar à Filosofia Contemporânea.

Dentro desse contexto de sucessivas mudanças ocorridas na Europa Ocidental, e já com a  crescente urbanização e industrialização avançadas, os pensadores começam a buscar uma resposta para a pergunta se, de fato, as nova sociedade estava gerando bem-estar e felicidade aos humanos.

Surgem as correntes de pensamento que foram denominadas de socialistas em função das bandeiras sociais que defendiam.

A partir desse contexto, surge no século XVIII e prolonga-se até o século XIX na Europa um movimento cultural envolvendo a arte a filosofia chamado romantismo. O símbolo do início do romantismo foi a publicação do romance  Os sofrimentos do jovem Werther, pelo escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe, em 1774.

Este movimento foi uma reação ao espírito racionalista, derivado do Iluminismo, e que que pretendia abraçar o mundo e orientar a sociedade. No Brasil o Romantismo surge no século XIX, em 1836, quando Gonçalves de Magalhães publica Suspiros Poéticos e Saudades.

Na passagem do século XIX para o século XX a Europa tem novas ondas de questionamento cultural, filosófico, econômico e politico.  Em 1848 surge o Manifesto Comunista, com o pensamento do alemão Karl Marx com as propostas que envolviam, inclusive, a desapropriação dos meios de produção. Veja um resumo rápido sobre Karl Marx:

Por outro lado, em 1905, o também alemão Max Weber estabelece os marcos de um pensamento liberal em relação à organização da sociedade.

Enquanto Karl Marx passa a ser interpretado nos meios políticos como um apologista da Ditadura do Proletariado, da centralização do governo, e da desapropriação dos bens em favor do Estado.

Max Weber, por outro lado, é apropriado como o pensador que entende o Estado centralizador como um problema, e não como uma solução, e que vê no indivíduo empreendedor a mola da mudança social, e não em entes políticos controladores do poder. Veja um resumo sobre Max Weber:

No início do Século XX, com a criação da psicanálise de Sigmund Freud e sua teoria da psicologia do inconsciente, surge uma enorme dúvida sobre a total confiança da razão sobre os assuntos humanos.

Uma grande parte do comportamento dos humanos estava vinculada ao Id, vinculado aos instintos primários e busca do prazer egoísta; outra ao Superego, vinculada à cultura hegemônica na sociedade onde se insere o indivíduo; e apenas uma parte das ações sob controle do Ego, que seria a instância racional de diálogo com a realidade.

Não podemos deixar de ressaltar também que no século XX o mundo teve duas guerras mundiais que destruíram muitas famílias, vilas, cidades e países.  Em 1917 a Rússia modifica a geopolítica mundial ao estabelecer a Revolução Comunista. Hitler domina a Alemanha com o pensamento nazifascista a partir de 1933, provocando a Segunda Guerra Mundial em 1939.

Comunistas liderados pela Rússia, e capitalistas liderados pela Inglaterra e pelos Estados Unidos lutam  como Aliados para combater o Exército Nazista. Ao final da guerra, em 1945, comunistas e capitalistas fazem a partilha da Europa Oriental, cortando inclusive a Alemanha derrotada ao meio.

O mundo entra num estágio de Guerra Fria, com ameaças nucleares entre comunistas liderados pela Rússia no comando da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas; e os capitalistas, liderados pelos Estados Unidos da América. Foram quase quatro décadas de seguidas disputas e ameaças.

Durante o ciclo da Guerra Fria ocorre uma disputa de supremacia militar e tecnológica entre os dois grandes blocos, e surgem grandes invenções como os telescópio em órbita, que exploram os confins do universo, naves espaciais que levam o homem à lua, a engenharia genética e a tecnologia da informação e diversão.

O Ciclo da Guerra Fria perde-se na linha do tempo com a ruína do comunismo na União Soviética, que morre sem combate ou resistência.

O marco simbólico do fim do comunismo como experiência histórica de governo em grande escala acontece com a queda do Muro de Berlim, em 1889, demarcando o final da Cortina de Ferro na Europa, com a desagregação progressiva dos países satélites à Rússia e que integravam a URSS.

Aula Gratuita: A Crise da Filosofia da Ciência

Veja como o mundo do pensamento reagiu a tantas mudanças, provocando reflexões profundas acerca da Filosofia da Ciência:

Muito bom este resumo do professor Alan! Agora, vamos seguir.

Na primeira metade do século XXI surge à teoria da relatividade de Einstein e, um tempo mais tarde, Heisenberg cria o princípio da incerteza, lança, portanto, uma progressiva mudança nos paradigmas da ciência.

Em contrapartida, o pensamento contemporâneo passa a refletir no campo da filosofia que, se a tecnologia também trouxe uma corrida para o armamento com o medo de uma destruição atômica recíproca nos tempos da Guerra Fria, alguns teóricos alertavam que a tecnologia não trouxe de efetivo (ou bom) bom para diminuir as crescentes desigualdades sociais.

A partir deste contexto histórico já começamos a perceber que a total confiança na razão que surgiu no período moderno começa entrar em crise. Surge, portanto, uma mentalidade menos arrogante quanto aos benefícios infalíveis da racionalidade científica.

Resumo:

A filosofia contemporânea tem como ponto de partida uma reação a total confiança na razão como meio de emancipação do ser humano e da sociedade. Diante de tantos problemas surgidos na época anterior, surgiram correntes filosóficas que buscaram no próprio ser humano e no seu contexto o meio para as reflexões filosóficas.

Dica 1: Quer continuar estudando conosco? Então aprofunde seu estudo acessando esse link conhecendo a questão do método na filosofia:

A questão do Método na Filosofia – Cai no Enem e no Vestibular

Dica 2: Aprofunde seu estudo sobre este tema entendendo a dialética helegiana acessando esse link:

Hegel e o método dialético: Tese; Antítese; e Síntese – Filosofia Enem

 

Dica 3: Conheça o pensamento de Marx a respeito da compreensão do ser humano inserido em sua realidade:

Karl Marx: o materialismo dialético e o comunismo – Filosofia Enem

Referência

COTRIM, Gilberto; FERNANDES, Mirta. Fundamentos de Filosofia. 1 ed. – São Paulo: Saraiva: 2010.

Chegou a sua vez. Resolva essas questões de vestibulares e se prepare para o Enem:

1. (Instituto Federal de Educação – PI – 2011) Uma marca da desconfiança da filosofia para com o otimismo cientificista foi o aparecimento da noção de razão instrumental, formulada pelos teóricos da Escola de Frankfurt. Sobre razão instrumental é possível afirmar:

A) Refere-se aos instrumentos usados pela razão para encontrar as explicações mágicas do mundo.
B) Trata-se do exercício da racionalidade científica, que tem por empresa o domínio da natureza para fins lucrativos e coloca a técnica e a ciência em função do capital.
C) Corresponde à maneira através da qual os filósofos Adorno, Horkheimer e Marcuse descreveram a racionalidade ocidental como instrumentalização da emoção.
D) Defende as ideias de progresso técnico e neutralidade científica como elementos que resguardam a positividade da ciência.
E) Os filósofos da Escola de Frankfurt afirmam que a razão instrumental reflete sobre as contradições e os conflitos políticos e sociais, fato que fez com que eles ficassem conhecidos como os filósofos da Teoria Crítica.

2. (Instituto Federal de Educação – PI – 2011) Assinale a alternativa que NÃO corresponde aos fundamentos da ciência contemporânea:

A) Noção de método como conjunto de regras, normas e procedimentos gerais, a fim de definir o objeto e para a orientação do pensamento durante a investigação e, posteriormente, para a confirmação ou refutação dos resultados encontrados.
B) As leis científicas definem seus objetos conforme sistemas complexos de relações necessárias de causalidade, complementaridade, inclusão e exclusão, objetivando o caráter necessário do objeto e o afastamento do contingencial.
C) Distinção entre sujeito e objeto do conhecimento, que permite estabelecer a ideia de subjetividade, isto é, de dependência dos fenômenos em relação ao sujeito que conhece e age.
D) A ideia de método pressupõe a adequação do pensamento a certos princípios lógicos universalmente válidos, dos quais dependem o conhecimento da verdade e a exclusão do falso.
E) O objeto científico é submetido à análise e à síntese, que descrevem fatos verificados ou constroem a própria objetividade como um campo de relações internas necessárias, isto é, uma estrutura que pode ser conhecida em seus elementos, propriedades, funções e formas de permanência ou de mudança.

3. (UFMT-2012) A um determinado conjunto de práticas, ideias e pesquisas sociais durante o século XX convencionou-se chamar de Escola de Frankfurt. A respeito do que fizeram e produziram seus principais autores, é correto afirmar:

a) Inspirados nos ideais iluministas, criaram conceitos como os de alienação, reprodutibilidade técnica, indústria cultural e teoria da cultura; com base na leitura de autores neopositivistas como Karnap e Schlick, ao mesmo tempo faziam a proposta de revisão crítica do marxismo.
b) Inspirados nos ideais do Iluminismo – ainda, segundo eles, não totalmente realizados – criaram conceitos como o de indústria cultural; partindo da leitura da obra de autores como Kant e Schopenhauer, criticaram o neopositivismo e procederam à releitura crítica do marxismo.
c) Inspirados pela releitura de Kant – revisão do Iluminismo numa nova forma – e pelas leituras de Schopenhauer e Nietzsche, criaram conceitos como os de teoria crítica e de alienação; partiram da ideia de cultura de massa criticando a evidente oposição entre marxistas e neomarxistas.
d) Criaram conceitos como o de cultura de massa, reprodutibilidade social e teoria social, partindo de uma revisão crítica da obra de neopositivistas como Ernest Bloch e outros; baseados nos percalços da Revolução Russa, criticaram tanto posturas neopositivistas quanto neomarxistas.

4. (UFV) Sobre a chamada Revolução Científica, marque a afirmativa INCORRETA:

a) A lei da gravitação universal foi formulada por Newton, a partir da teoria heliocêntrica e da teoria do movimento dos astros.
b) O método da observação e da experimentação, aliado a razão matemática, contribuiu para o desenvolvimento das ciências modernas.
c) A Revolução Científica foi um movimento de legitimação do poder absoluto monárquico e de aumento do poder eclesiástico.
d) As novas descobertas científicas possibilitaram as grandes navegações e a ascensão da burguesia.
e) As ideias racionalistas de Descartes e a física newtoniana influenciaram o pensamento iluminista do século XVIII.

5. Sobre a Filosofia Contemporânea, quais correntes filosóficas NÃO correspondem a esse período?

a) Idealismo de Hegel; Positivismo de Comte.
b) Racionalismo Cartesiano; Empirismo de Francis Bacon.
c) Pragmatismo de Charles S. Peirce; Neokantismo de Hermann Cohen.
d) Fenomenologia de Husserl; Martin Haidegger.
e) Marxismo de Gramsci; Estruturalismo de Claude Lévi-Strauss.

Respostas:

1: b; 2: c; 3: b; 4: c; 5: b

Post escrito por Gilson Luiz Corrêa. Gilson é bacharel em Filosofia pela UNISUL, possui Licenciatura em Filosofia pela UFSC e em Psicopedagogia pela FMP. É professor do Colégio Catarinense. Facebook: https://www.facebook.com/gilsonluiz.correa

O conteúdo foi complementado pela editoria do Blog do Enem em 2019, com atualizações e inserção de fatos históricos e vídeos explicativos.