Os Hebreus – Resumo com simulado: a História dos Judeus

Confira como foi a trajetória dos Hebreus desde a Antiguidade. Veja o Cativeiro no Egito, o retorno à Palestina. O Monoteísmo, e a Diáspora dos Judeus pelo mundo.

História Enem: É hora de revisar as origens, a cultura dos hebreus e sua relação direta com a organização social e política que surge no oriente próximo e que influenciou a formação da cultura judaico-cristã do Ocidente. Em seguida, responda ao Simulado.

A Origem dos Hebreus (Judeus)

Os chamados Hebreus ocuparam uma região bastante árida, conhecida como Palestina, situada a sudoeste do atual Líbano. Tal região está subdividida em duas partes com base em sua posição em relação ao principal rio da região, o rio Jordão. Assim sendo, a leste do Jordão estava a Transjordânia e a oeste a Cisjordânia.

Uma diferença em relação ao Egito antigo e a Mesopotâmia era a capacidade hídrica do Jordão, em nada comparada ao Nilo, Tigre e Eufrates, reduzindo de maneira drástica o potencial agrícola da região. Ou seja, o solo palestino era infértil e o clima da região bastante seco. Os HebreusA principal fonte histórica a respeito do surgimento dos hebreus é a Bíblia, precisamente o antigo testamento, bem como pesquisas arqueológicas na região e o próprio estudo histórico acerca dos povos vizinhos, que foram de extrema importância para esta civilização.

O Velho Testamento

Segundo o livro Gênesis, os hebreus descenderiam de Tare, de origem semita (grupo étnico descendente de Sem, filho de Noé, o construtor da Arca), que abandonou a cidade mesopotâmica de Ur e estabeleceu-se mais ao sul.

Os semitas originaram duas importantes civilização que até hoje disputam aquela região. De um lado os Hebreus, também conhecidos como Judeus (falaremos sobre o desenvolvimento da religião ainda neste post) e os árabes.

O próprio velho testamento é bastante rico ao falar sobre judeus e outros povos que migraram e ocuparam aquela região por volta de 1700 – 1500 a.C.

Após a morte de Tare, a liderança da tribo hebraica passou a Abraão que teria recebido a ordem divina de ocupar Canaã, a chamada terra prometida, “projeto” consolidado por seu neto Jacó que posteriormente adotou o nome de Israel.

Segundo a tradição judaica as 12 tribos que compõe esse povo teriam origem a partir deste patriarca.As 12 Tribos dos JudeusNa imagem a seguir temos um mapa da palestina antiga subdividida com base na área ocupada por cada uma das tribos  dos hebreus, todas elas formadas, segundo a tradição, pelos filhos do Patriarca Israel (Originalmente Jacó, neto de Abraão)

A História dos Hebreus, haja vista a importância dos relatos bíblicos, é permeada de mitos e elementos simbólicos e por isso carentes de provas científicas. Assim sendo, embora seja difícil precisar a veracidade dos fatos, uma forma de fazê-lo é confrontar com elementos históricos dos demais povos da região.

O Êxodo dos Hebreus

Segundo os relatos bíblicos parte desse povo invadiu e se estabeleceu no Egito por cerca de quatrocentos anos, estando aliados aos Hicsos, líderes da invasão, os judeus tiveram bastante liberdade e ocuparam importantes cargos dentro do novo governo egípcio.

Entretanto, com a expulsão dos Hicsos e retomada do poder pelos egípcios, os hebreus seriam submetidos a condição de escravos, praticamente. Neste contexto surge a liderança de Moisés, que além de organizar a fuga do Egito e o retorno para a Palestina também terá grande importância para a consolidação do monoteísmo.

É nesta fase do monoteísmo que os judeus passam a adorar um deus único, chamado Jeová (ou Iavé). Foi justamente durante tal fuga, que teria durado por volta de quarenta anos, que supostamente Moisés teria aberto o mar vermelho e recebido de deus os 10 mandamentos.

Os hebreus finalmente retornaram a Palestina sob a liderança de Josué, após a morte de Moisés, conquistando parte da região.

Organização Política dos Hebreus:

Patriarcado: Do ponto de vista político os judeus viveram três tipos de organização. Inicialmente o poder era dividido entre os patriarcas, o povo então era dividido em grandes famílias ou clãs, chefiados pelo homem mais velho. Entretanto as rivalidades entre esses chefes acabavam por enfraquecer os judeus que ficavam suscetíveis a invasões de outros povos.

Juizado: Diante da ineficiência do patriarcado, surgiram chefes militares e políticos com poder superior aos patriarcas e capazes de organizar as formas judaicas para expulsar invasores como os Filisteus e Amoritas. Consequência disso foi o desenvolvimento da monarquia quando o juiz Samuel centralizou o poder político. Do ponto de vista religioso o monoteísmo já havia unificado os judeus.

Monarquia: Reis dos Judeus:

  • Saul (1010 a.C. a 1006 a. C.): Considerado o primeiro Rei de Israel.
  • Davi (1006 a.C a 966 a.C.): Período marcado pela expansão militar e prosperidade da civilização judaica. Estabeleceu Jerusalém como capital do reino de Israel.

 

  • Salomão (966 a.C a 926 a.C): Filho e herdeiro de Davi, ficou conhecido pela sabedoria em suas decisões, pelo grande Templo que mandou construir segundo orientação divinas e pelo desenvolvimento do comércio. Entretanto, a cobrança abusiva de impostos para a manutenção dos luxos da corte terminou por criar um ambiente de grande insatisfação popular entre os Hebreus.

Cisma Político e Religioso: Após a morte de Salomão os judeus se dividiram em dois reinos.

Reino de Israel: Situado ao norte e composto por 10 tribos, em 878 a.C aclamaram Omri como rei. Neste reino, apesar da resistência do culto monoteísta, o culto a outros deuses foi retomado e o movimento profético teve grande influência, sobremaneira entre a população mais pobre.

Por volta de 842 a.C. o profeta Elias deu um golpe de estado e com o apoio da população mais oprimida coroou Jahu. Porém, o reino de Israel seria conquistado por Sargão II, rei dos assírios por volta de 722 a.C.

Reino de Judá: Composto pelas duas tribos restantes manteve-se fiel ao monoteísmo e conservou Jerusalém como capital. Durante a invasão assíria o Rei Ezequias (725 a.C. a 697 a.C.) aliou-se aos egípcios para conter o avanço dos invasores, mesmo assim uma parte do território de Judá foi fatalmente ocupada.

Sob o reinado de Josias (639 a.C. a 609 a.C) toda a região foi alvo de disputa entre Egito e Império Babilônico. Nabucodonosor II, rei da Babilônia invadiu a região e destruiu o grande Templo do rei Salomão.

Além disso, o rei e cidadão mais ricos foram levados a Babilônia como reféns e lá permaneceram por 50 anos. Este episódio é retratado na Bíblia como “Cativeiro Babilônico”.

Diáspora Judaica:

Após a conquista dos Persas em relação a Babilônia os hebreus mantidos em cativeiro foram libertados e retornaram para o reino de Judá. Gradativamente as diferenças entre Israel e Judá foram superadas e as 12 tribos judaicas novamente unificaram-se e iniciaram a reconstrução do Templo de Salomão.

Todavia, ao longo dos próximos séculos a região seria sistematicamente ocupada por invasores até a chegada dos romanos na região. Diante das diferenças religiosas entre romanos e hebreus, quando os primeiros passam a interferir nas crenças hebraicas e os últimos negam-se a reconhecer a divinização do Imperador Romano, por ordem do general romano Tito Jerusalém é destruída e o povo hebreu acabou por dispersar-se pelo mundo.

Cultura e Religião dos Hebreus:

Conforme dito anteriormente, os hebreus foram responsáveis pela primeira experiência duradora de um culto monoteísta. Além disso, a influência da religião judaica para o surgimento do cristianismo e islamismo é impar. Além disso, toda a história dos judeus pauta-se pela relação intrínseca deste povo em relação a sua religião.

O Antigo Testamento é o livro sagrado dos Judeus, os livros Gênesis, o Êxodo, o Levítico, os Números e o Deuteronômio fazem parte da chamada Torá. O Talmude, por sua vez reúne muitas tradições orais e é dividido em quatro livros: Mishnah, Targumin, Midrashim e Comentários.

Os judeus possuem muitos rituais simbólicos e datas importantes dentro de seu próprio calendário, seus sacerdotes são conhecidos como Rabinos e seus templos denominados Sinagogas.

Entre os rituais, podemos citar a circuncisão dos meninos (aos 8 dias de vida) e o Bar Mitzvah que representa a iniciação na vida adulta para os meninos e a Bat Mitzvah para as meninas (aos 12 anos de idade). As datas das festas religiosas dos judeus são móveis, pois seguem um calendário lunisolar.

As principais são as seguintes: Purim – os judeus comemoram a salvação de um massacre elaborado pelo rei persa Assucro;  Pessach – quando comemora-se a libertação da escravidão do povo judeu no Egito, em 1300 a.C.; Shavuót – celebra a revelação da Torá ao povo de Israel, por volta de 1300 a.C.; Rosh Hashaná – é comemorado o  Ano-Novo judaico; Yom Kipur – considerado o dia do perdão.

Os judeus fazem jejum por 25 horas seguidas para purificar o espírito; Sucót – refere-se a peregrinação de 40 anos pelo deserto, após a libertação do cativeiro do Egito; Chanucá – comemora-se o fim do domínio assírio e a restauração do tempo de Jerusalém; Simchat Torá – celebra a entrega dos Dez Mandamentos a Moisés.

2
Fonte: http://obviousmag.org/archives/2007/06/os_judeus_e_o_h.html

A imagem retrata o Muro das Lamentações Trata-se do único vestígio do antigo Templo de Herodes, erguido por Herodes o Grande no lugar do Templo de Jerusalém inicial. É a parte que restou de um muro de arrimo que servia de sustentação para uma das paredes do edifício principal e que em si mesmo, não integrava o Templo que foi destruído pelo general Tito.

Muitos fieis judeus visitam o Muro das Lamentações para orar e depositar seus desejos por escrito. Antes da sua reabilitação por Israel, após a Guerra dos Seis Dias, em 1967, o local servia de depósito para incineração de lixo.

O Holocausto Judeu na 2ª Guerra

Durante a segunda grande guerra milhões de Judeus foram perseguidos, explorados, expropriados e posteriormente mortos pelo regime nazista alemão no episódio conhecido como HOLOCAUSTO (palavra de origem hebraica que significa sacrifício).

Hebreus – Simulado

.

.

Gabaritou no Simulado? Ainda não? Então é hora de mergulhar mais fundo. Veja aqui uma aula completa sobre os Hebreus. Depois, teste seu nível novamente neste novo Simulado sobre os Hebreus.

Escolha mais um Simulado Enem para fazer agora

Mandar bem no Enem é tudo de bom. Depois destas provas sobre Biomas Brasileiros, faça mais um Simulado Enem para testar seus conhecimentos e ver as aulas de revisão das questões que você errar. Escolha na tabela  no final do post a matéria que você quer revisar agora. Com os testes do Simulado você corrige as suas falhas e aumenta suas chances no próximo Exame Nacional do Ensino Médio.

Notas de Corte do Enem

É a sua nota que garante o futuro na universidade. Para entrar nos cursos mais puxados como Medicina e Engenharia Aeronáutica é preciso fazer acima de 750 a 780 pontos, pelo menos. Nas universidades mais concorridas Notas de Corte do Enem para estes cursos passam de 800 pontos.

Nas Engenharias, no Direito, e para Psicologia e Odonto é preciso fazer mais de 700 pontos na maioria das instituições. O Simulado Enem ajuda você a chegar lá. Veja aqui todas as Notas de Corte do Enem. 

queda livre - notas de corte enem

Curso Enem Gratuito

Junto com esta coleção de provas do Simulado Enem Online a equipe de professores do Blog criou também um acervo completo de aulas e exercícios gratuitos de todas as matérias que caem nas provas objetivas e também na Redação do Enem. Todas estas aulas estão agrupadas para você no Curso Enem Gratuito.

Veja as dicas de Redação e as aulas do Curso Enem Gratuito - Simulado Enem

Veja as dicas de Redação e as aulas do Curso Enem Gratuito

Você escolhe o que precisa estudar no Curso Enem Gratuito, no seu ritmo. Estudar pra valer é o caminho para fazer a diferença no seu desempenho na próxima prova do Enem. Agora, é com você.

Simulado Enem Online – Escolha a sua próxima prova:

Biologia

Filosofia

Física

Geografia

Gramática

História

Inglês

Literatura

Matemática

Química

Espanhol

Sociologia

Encceja